Alternativa

A História de maneira acessível

Professor cria canal no YouTube para divulgar aulas e preparar alunos para o Enem

18 de Outubro de 2020 - 12h10 Corrigir A + A -
Vídeos de Munhoz são liberados sempre aos sábados (Foto: Jô Folha - DP)

Vídeos de Munhoz são liberados sempre aos sábados (Foto: Jô Folha - DP)

Por acreditar que a educação é um objeto de transformação e ter o desejo de democratizar o ensino, o professor de história da rede pública e privada do município, Airton Munhoz, criou um canal no YouTube chamado Papo de Historiador. Criado em julho deste ano e com mais de 600 inscritos, o foco destes últimos meses de 2020 é preparar os alunos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Depois de lives e videoaulas disponibilizadas no canal, o docente conta que surgiu a ideia de criar uma maratona de revisão para o Enem. Batizada de Grandes Temas da História para o Enem, o projeto já conta com três vídeos que abordam a República da Espada, a República do Café com Leite e a Era Vargas. O diferencial dos conteúdos é que todos contam com a participação de convidados que dominam o assunto.

Os vídeos são liberados sempre aos sábados de tarde, cada semana com um assunto diferente. Munhoz salienta que tudo isso só acontece devido à solidariedade de uma rede de amigos, tanto os ex-alunos Theo Medeiros e Gustavo Machado que, de forma voluntária, ofereceram-se para editar os conteúdos, e a todos os professores que topam destinar um tempo do seu dia para as gravações.

Como docente da rede estadual, o criador do canal sabe que muitos não têm acesso à internet, porém também tem certeza que apesar da situação de vulnerabilidade muitos alunos possuem celulares e conseguem chegar até as aulas. “E é só assim que vamos conseguir motivá-los a mudar a realidade”, completa.

A criação do canal

A ideia começou quando o professor fez umas participações no podcast Valvulado, conduzido pelos colegas de profissão Renato da Rosa e Carlos Eduardo Ferreira. A partir dali criou o próprio podcast como ferramenta alternativa de ensino, tanto para os alunos como para a comunidade em geral. Com o período de suspensão de aulas se estendendo, muitos alunos entravam em contato para solicitar material extra. E com essa necessidade, principalmente dos estudantes da rede pública, surgiram as videoaulas no canal. Por lá, ele disponibiliza o vídeo e links para os interessados conseguirem acessar apostilas de forma gratuita. “É um suporte para eles não se sentirem desamparados nesse momento”, fala.

Entre aulas e lives, diversos assuntos já foram tratados, como autoritarismo, escrita e escritores e violência racial. Com a consolidada e em ação, Munhoz iniciou uma maratona de e-mails para professores e escritores reconhecidos mundialmente. Entre ele, estão o escritor e pesquisador Paulo Rezutti, que tratou sobre o Império Brasileiro. Para janeiro, o professor espera a historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados