Série B

Zona de risco

No Bento Freitas, Brasil enfrenta o São Bento em briga direta para se afastar da zona do rebaixamento

20 de Agosto de 2019 - 11h43 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Bolívar deve repetir a equipe mais uma vez. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Bolívar deve repetir a equipe mais uma vez. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O Brasil não tem mais gordura para queimar. As vitórias de seus concorrentes diretos na rodada passada acirraram ainda mais a disputa para se manter fora da zona do rebaixamento. A um ponto do Z-4, o Xavante recebe o também ameaçado São Bento, às 19h15min desta terça-feira (20), no estádio Bento Freitas, em confronto direto na parte de baixo da tabela.

A derrota para o Coritiba, somada às vitórias de Vila Nova, América-MG, Vitória e São Bento deixa o time rubro-negro pressionado a conquistar uma vitória nesta noite. O Brasil ocupa o 13º lugar com 18 pontos, apenas um a mais que o Coelho, 17º colocado. O próprio Bentão, 19º colocado com 16 pontos, pode ultrapassar a equipe pelotense em caso de vitória na Baixada.

"A situação ficou mais perigosa. A nossa derrota e os resultados paralelos acabaram não sendo bons para a gente. Mas temos um jogo dentro de casa, onde o Brasil retomou a confiança. Onde conseguimos encontrar um bom futebol, alcançar um resultado. E agora um jogo contra uma equipe que está muito próximo da gente, onde podemos abrir uma distância e, principalmente, subir na tabela. Até os clubes que estão na zona de rebaixamento já têm uma pontuação considerável e estão se aproximando do Brasil. Então a gente precisa fazer o nosso dever, precisa vencer, jogar bem, para que a gente possa conquistar esses três pontos", destacou o técnico Bolívar, em entrevista coletiva concedida no Bento Freitas.

Contra o São Bento, segunda pior defesa da competição com 26 gols sofridos, o Xavante terá a oportunidade de melhorar os números do setor ofensivo. Até aqui, o pior ataque é o do Guarani, com apenas nove gols marcados. Na sequência vêm Brasil, Vila Nova e Criciúma, que balançaram as redes em 11 oportunidades. Durante a semana, Bolívar trabalhou exaustivamente o ataque. Inclusive no treinamento de ontem, onde a bola aérea ofensiva teve atenção especial do técnico.

"A maior preocupação é quando a gente não cria oportunidades e o Brasil está criando. Mesmo contra o Coritiba tivemos pelo menos três oportunidades para poder finalizar bem e acabamos não sendo efetivos. A gente procura trabalhar sempre isso durante a semana, ainda mais com esse semana cheia. Fizemos muitos trabalhos de ataque contra defesa para que você possa ter uma tomada de decisão correta na hora da partida. A gente espera melhorar porque é o nosso poder ofensivo que vai construir a nossa vitória", analisou.

Quem ficou fora da atividade foi o meia Diogo Oliveira. Mas, o próprio maestro tratou de tranquilizar a torcida e se escalou para enfrentar o São Bento. Pela disposição dos titulares no treino, caso Diogo não tenha condições de jogo, o atacante Rodrigo Alves será o seu substituto. De resto, o time será o mesmo que atuou contra Vitória e Coritiba. Pará, cotado para retornar à lateral esquerda, sequer apareceu no gramado para treinar. Quem treinou mas não vai jogar será Willian Formiga, que ainda não tem condições de jogo. Com isso, Ednei seguirá improvisado no lado esquerdo.

Ficha técnica:
Brasil - Carlos Eduardo; Ricardo Luz, Bruno Aguiar, Leandro Camilo e Ednei; Leandro Leite, Carlos Jatobá, Murilo Rangel, Diogo Oliveira (Rodrigo Alves) e Cristian; Rafael Grampola. Técnico: Bolívar.
São Bento - Gabriel Félix; Marcos Martins, Wesley, Joílson e Mansur; Fábio Bahia, Vinícius Kiss, Rodolfo, Caio Rangel e Minho; Zé Roberto. Técnico: Doriva.
Árbitro: Ramón Abatti Abel.
Horário: às 19h15min.
Local: estádio Bento Freitas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados