Processo

William Ribeiro é indiciado por tentativa de homicídio

Jogador, que havia sido preso em flagrante e depois solto após agredir árbitro, foi alvo de investigação da Polícia Civil encaminhada ao MP

24 de Novembro de 2021 - 20h14 Corrigir A + A -
Meia teve o contrato unilateralmente rescindido pelo São Paulo-RG e foi banido por dois anos do futebol (Foto: Fabio Dutra)

Meia teve o contrato unilateralmente rescindido pelo São Paulo-RG e foi banido por dois anos do futebol (Foto: Fabio Dutra)

Menos de dois meses após agredir o árbitro Rodrigo Crivellaro, em jogo da Divisão de Acesso, o jogador William Ribeiro foi indiciado pela Polícia Civil do RS por tentativa de homicídio qualificado. Encaminhada ao Ministério Público (MP) do Estado, a denúncia caracteriza o motivo do ato do meia como fútil. Nessas circunstâncias, a pena varia entre 12 a 30 anos de reclusão.

Em contato com a reportagem do Diário Popular, o delegado responsável pelo caso, Felipe Cano, explicou as razões para a decisão. “A partir das nossas investigações, que se iniciaram com a prisão dele em flagrante, a vítima foi encaminhada a exames no Instituto Médico Legal (IML) que apontaram lesão corporal de natureza grave”, afirma.

As consequências da agressão geraram o afastamento de Crivellaro por mais de 30 dias. E foi solicitado ainda um novo laudo complementar a ser dado três meses depois do fato, ocorrido na partida entre São Paulo de Rio Grande e Guarani de Venâncio Aires, no dia 4 de outubro. Com lesões na coluna cervical, Rodrigo ainda segue sob observação.

“Ânimos de ceifar a vida”

Ainda conforme o delegado, a ação de William, que primeiro desferiu um soco e em seguida partiu para cima do árbitro com chutes, teve “ânimos de ceifar a vida”. A ausência de conflitos prévios entre eles representa outro agravante para o encaminhamento da solicitação ao MP.

A agressão se deu exclusivamente por conta do jogo, pela advertência do juiz ao atleta. Após o soco, o Rodrigo cai já desfalecido e o William continua dando um chute na cabeça. Esse foi o motivo do indiciamento. Caso houvesse a intenção de lesionar, no momento em que ele dá o soco e o árbitro cai, pronto, já lesionou. Mas ele prossegue”, analisa Felipe, que ainda considera a condição física de um jogador profissional, com mais força nas pernas do que um homem comum.

O advogado de Crivellaro, Daniel Tonetto, o indiciamento é justo e bem embasado. “Trata-se de um caso violento e revoltante e tanto a autoridade policial como o MP se manifestaram de forma correta”, disse ao DP.

Relembre

Preso em flagrante no dia da agressão, William Ribeiro teve o contrato com o São Paulo unilateralmente rescindido pelo clube rio-grandino. Na noite posterior ao acontecimento, recebeu liberdade provisória, decisão da qual o MP recorreu.

Já em 18 de outubro passado, o atleta, que é natural de Pelotas, sofreu punição por unanimidade no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), sendo banido por dois anos do futebol.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados