Futebol

Valorizando o nacional

Pelotas recebe o Marcílio Dias, às 15h deste sábado pela abertura do grupo 8 da Série D do Brasileiro

19 de Setembro de 2020 - 11h56 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Colbachini vê o Lobo pronto para a Série D (Foto: Tales Leal/ECP)

Colbachini vê o Lobo pronto para a Série D (Foto: Tales Leal/ECP)

Depois de seis anos o Pelotas volta a disputar uma competição nacional. Porém, pode-se dizer que após muito tempo - e quem sabe até pela primeira vez - o Lobo entra em campo tendo o Campeonato Brasileiro como o principal objetivo. A Série D para o Pelotas, que tem largada na Boca do Lobo neste sábado (19), às 15h, diante do Marcílio Dias, é vista como a competição que pode fazer o clube virar a chave da história.

Não há outro discurso na Boca do Lobo que não seja conquistar o acesso para a Série C do Brasileiro. A montagem do elenco é prova do quanto a direção almeja colocar o clube no cenário nacional e ter um calendário completo para a próxima temporada. O Pelotas buscou atletas acostumados a disputarem divisões superiores recentemente, como Renan, Itaqui, Moisés e Maylson. No comando, colocou um treinador que - mesmo jovem - é visto como um grande potencial devido aos trabalhos no Internacional.

A partir deste contexto, o Pelotas teve 50 dias de preparação. Ricardo Colbachini buscou implementar conceitos como pressão pós-perda, linhas jogando próximas e altas, um futebol apoiado e de muitas variações táticas. São essas características que o Lobo tentará impor diante do Marcílio Dias neste sábado na Avenida.

“Uma equipe que propõe o jogo, que valoriza a bola e que gosta de fazer um jogo apoiado. Um time que quando perde já quer retomar a bola de maneira rápida e quer marcar alto todos os adversários. Vamos ter que competir muito. A Série D possui jogos de muito contato e muitas disputas. Além de ter nosso estilo de posse de bola, vamos ter que competir muito e encurtar os espaços dos nossos adversários”, afirmou o treinador áureo-cerúleo.

Um dos pilares do time promete ser a mescla entre os atletas experientes e os jovens jogadores formados nas categorias de base dos grandes times do país. Na equipe que deverá iniciar a partida deste sábado, o lateral esquerdo Gabiga, o zagueiro Gabriel Silva, o volante Vini Garcia e atacante Ariel são jogadores moldados dentro de ideias semelhantes ao modelo utilizado por Colbachini na Boca do Lobo. Já os jogadores mais velhos precisaram passar por uma adaptação, mas trazem as vivências que um campeonato nacional exige.

“Alguns deles (jogadores experientes) têm variado de posição e a gente procurou fazer bastante isso nos 50 dias. Trabalhamos bastante os atletas em mais de uma ou duas funções para que durante o jogo a gente possa ter várias possibilidades de vários sistemas, variar formas de marcar, formas de atacar, e os atletas que são experientes possuem facilidade, pois já vivenciaram várias coisas na carreira, apesar de encontrarem aqui um modelo pouco diferente”, relatou o comandante áureo-cerúleo.

Equilíbrio

Ricardo Colbachini acredita em uma partida complicada neste sábado. Para o treinador, o Marinheiro montou uma equipe experiente e qualificada que resultou na boa campanha no Campeonato Catarinense.

“O Marcílio Dias tem jogadores qualificados, fez bom Catarinense e ainda se reforçou após o campeonato. Será um jogo muito guerreado, definido em detalhes”, afirmou.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados