Série D

Um time mais agressivo com a bola

Colbachini espera um Pelotas com maior criatividade para buscar a vitória contra o Novorizontino

24 de Setembro de 2020 - 12h33 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Colbachini respondeu os questionamentos da imprensa na manhã desta quarta-feira (Foto: Tales Leal/ECP)

Colbachini respondeu os questionamentos da imprensa na manhã desta quarta-feira (Foto: Tales Leal/ECP)

O Pelotas parte na manhã dessa quinta-feira (24) rumo a São Paulo. No sábado (26), às 16h, encara o Novorizontino no estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte, pela segunda rodada do grupo 8 da Série D do Brasileiro. Por isso, o técnico Ricardo Colbachini respondeu, virtualmente, as perguntas da imprensa na manhã desta quarta.

O técnico do Lobo afirmou que independentemente do local onde o clube atue, e mesmo diante da equipe com o maior investimento financeiro da chave, tentará impor o seu modelo de jogo.

“Independentemente do local onde jogarmos, não vamos mudar muito a nossa postura. Vamos manter os nossos conceitos e nos adaptar às circunstâncias do jogo”, revelou o treinador.

Colbachini tirou lições da partida contra o Marcílio Dias que podem ser fundamentais para o Áureo-cerúleo sair vitorioso neste sábado. O time paulista apresenta boa compactação entre os setores na hora de defender e se sente confortável ao marcar em bloco médio e baixo. Foi assim, por exemplo, que o Novorizontino roubou a bola e partiu para sofrer o pênalti que resultou no gol contra o Joinville, na rodada de abertura. Essa qualidade poderá colocar o Lobo novamente frente a uma situação de poucos espaços, como ocorreu contra o Marinheiro.

“O Novorizontino utiliza muito bem a marcação média e faz muito bem a baixa, consegue fazer a pressão muito bem. Precisamos ser uma equipe um pouco mais agressiva e criativa para ter essa vantagem pessoal e conseguir finalizar no gol. É uma equipe que gosta também de ter a bola, vai tentar atacar, e isso gera alguns espaços. É um time bem qualificado”, analisou o comandante áureo-cerúleo.

Para o confronto contra o Novorizontino, Colbachini poderá contar com Itaqui. Apesar de ficar no banco de reservas, o volante não tinha condições de atuar diante do Marcílio. Itaqui disputa posição com Ramires, mas também pode ocupar a vaga de Daniel Costa.

Teste para a defesa
Devido à circunstância de ter atuado toda a partida com um jogador a mais na estreia, a defesa do Lobo foi pouco exigida. Situação que deverá mudar no confronto deste sábado em São Paulo. O Novorizontino utiliza o modelo de ataque rápido, ou seja, é um time que busca finalizar em menos toques possíveis, explorando a velocidade dos atacantes. Deste modo, o treinador do Lobo destaca que será preciso concentração total dos atletas para neutralizar essa qualidade do adversário.

“Temos que interpretar bem cada jogada e cada lance. Nos momentos que a gente achar que é possível executar bem a pressão pós-perda, ela tem que ser muito agressiva, e quando não tiver como realizar devemos tirar a profundidade e controlar essa qualidade que o adversário tem”, finalizou Ricardo.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados