Recopa Gaúcha

Um olho na taça e outro na preparação

Decisão da Recopa Gaúcha ocorre neste domingo entre Pelotas e Grêmio, às 16h, na Boca do Lobo, mas técnico Picoli não esquece do Gauchão

18 de Janeiro de 2020 - 16h27 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Picoli busca o segundo título no comando do áureo-cerúleo (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Picoli busca o segundo título no comando do áureo-cerúleo (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O Pelotas entra em campo neste domingo (19), na largada da temporada 2020, visando mais uma taça. A terceira na Era Gilmar Schneider e a terceira temporada seguida levantando troféu. Às 16h, o Lobo encara o time de transição do Grêmio na Boca do Lobo, pela Recopa Gaúcha. Competição que coloca frente a frente os vencedores da Copa Seu Verardi e do Gauchão do ano passado.

A taça é vista sob dois olhares na Avenida. Pelo menos pelo técnico Picoli. Enquanto no início da tarde de quinta-feira o treinador falou na importância do título para iniciar a temporada e marcar o nome na história do clube, que é o primeiro campeão da competição criada em 2014, na noite do mesmo dia o comandante revelou um lado mais preocupado com a partida ser tão perto da estreia áureo-cerúlea no Gauchão, marcada para quarta (22) contra o Novo Hamburgo, também na Boca do Lobo.

"Me incomodou muito ter isso na semana da estreia. Por isso, talvez possamos ter alguns cuidados para não ter algumas coisas que vamos fazer no Gauchão já abertas nesse jogo. Alguns cuidados devem ser tomados até na escalação", afirmou o treinador, que também reconheceu a importância da partida para as finanças no clube, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Já para a imprensa pelotense, Picoli falou da importância da conquista: "Título é título. Não tem conversa. Até por que o Pelotas foi o primeiro campeão da Recopa. É um título, um marco. Essa é a vantagem. Sempre que tem a condição de jogar a decisão tu evolui. Quando se sai da zona de conforto te obriga a evoluir", disse.

Tanto em termos de conquista como de preparação, o Pelotas terá um desafio grande - apesar de o Grêmio não atuar com a equipe principal. O time comandado pelo técnico Thiago Gomes, ex-Lobo, conta com vários jogadores que atuaram diversas vezes no profissional do Tricolor. "Esperamos que eles mantenham aquela forma de jogar, com passes entre as linhas e velocidade no terço final. Ferreira é um jogador de velocidade que conheço bem. Imagino dentro dessa característica que o Grêmio apresenta há alguns anos de um jogo de aproximação, de chegada e explorando a parte final do campo", avaliou o comandante áureo-cerúleo.

O Lobo
Do lado áureo-cerúleo é só mistério. Com os treinos fechados nos últimos dias, Picoli deixou várias dúvidas sobre que time deverá começar. O treinador ressaltou, na entrevista para a Rádio Gaúcha, que poderá inclusive preservar alguns jogadores que não estejam ainda na forma física ideal. Porém, as principais dúvidas ficam por conta de quem será o volante e qual centroavante vestirá a camisa 9.

No meio, Tiago Costa e Guedes lutam por uma posição. A tendência é que o primeiro atue por ter um poder maior de combatividade e, assim, Picoli pode manter o 4-3-3 da Copa Seu Verardi. Caso opte por Guedes, deve recuar um pouco Santana e passar para o 4-2-3-1. No ataque, a dúvida é se Tadeu ou Hugo Almeida jogará. O treinador deixou muito claro que prefere ter um centroavante de ofício. Mesmo tendo treinado bastante com Jean Roberto de falso 9, o jogador não deverá iniciar nesta função. Pode até aparecer como meia, no lugar de Wallacer, mas a alternativa é mais remota.

Ficha técnica
Pelotas; Douglas; Osvaldir, Negretti,Vitão e Juliano Tatto; Tiago Costa, Santana e Wallacer; Juliano,
Hugo Sanches e Tadeu; Técnico: Picoli

Grêmio
Brenno; Felipe, Ruan, Rodriguez e Gui Guedes; Frizzo, Darlan, J. Robert, Patrick e Ferreira. Da Silva
Técnico: Thiago Gomes

Árbitro: Daniel Nobre Bins
Quando: domingo, às 16h
Estádio: Boca do Lobo

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados