Opinião

Tradição, retrospecto e confiança: as armas do Internacional para reverter o resultado e conquistar o título

Depois do revés em Curitiba, Colorado precisa vencer o Athletico para conquistar o título da Copa do Brasil

12 de Setembro de 2019 - 15h35 Corrigir A + A -
 (Foto: Divulgação - DP)

(Foto: Divulgação - DP)

Por agência digital emarket

A derrota para o Athletico por 1 a 0 no primeiro jogo da final não estava nos planos de ninguém do Internacional. Mesmo assim, o resultado não está sendo considerado um dos piores e o grupo sabe que tem condições de reverter o placar na partida do próximo dia 18, no Beira-Rio. Aliás, isso já aconteceu nesta edição da Copa do Brasil diante do Palmeiras. No primeiro confronto válido pelas quartas de final, na Allianz Arena, derrota de 1 a 0. Na volta, o Colorado devolveu o placar e levou a decisão para os pênaltis. Nas cobranças, 5 a 4 para os gaúchos e classificação à próxima fase.

Para conquistar a Copa do Brasil, o Internacional terá que vencer o Athletico por dois gols de diferença. Se vencer por um gol, leva a decisão para os pênaltis. Qualquer empate dá o título para os paranaenses. Vale lembrar que nesta edição da Copa do Brasil não existe gol qualificado. Qualquer vitória por um gol de diferença leva a decisão para as penalidades.

Apesar da postura do time em jogos fora de casa, a força do Beira-rio e a qualidade de seus jogadores faz a torcida acreditar na virada e no tão sonhado título. As probabilidades dos sites de apostas esportivas também indicam o Colorado como favorito.

Retrospecto espetacular no Beira-Rio
Uma das armas para o Internacional vencer a Copa do Brasil está em sua casa. Diante da sua torcida, o Colorado está praticamente imbatível. Os números desta temporada impressionam e empolgam o torcedor que acredita ainda mais na virada e no título. Paolo Guerrero, na saída do primeiro jogo, já demonstrou também esta confiança. “Em casa a gente resolve”.

Esta empolgação tem motivo. É que jogando no Beira-Rio em 2019, o Internacional fez 26 jogos e conquistou nada menos que 19 vitórias. Foram cinco empates e apenas duas derrotas, ainda durante o Gauchão, quando o time estava em formação. O aproveitamento em casa beira os 80% nesta temporada. Os números empolgam também se considerarmos só os jogos pela Copa do Brasil 2019, com três vitórias em três jogos.

Tradição Colorada
O que falar do Internacional? Tricampeão Brasileiro, campeão da Copa do Brasil, bicampeão da Libertadores da América (2006 e 2010) e campeão mundial de clubes em 2006, a camisa do Colorado pesa em qualquer competição.

Campeão da Copa do Brasil em 1992, o time de Porto Alegre vem buscar o seu segundo título nacional e o primeiro da retomada iniciada em 2017. Para quem não se lembra, foi neste ano que o Inter viveu seu pior momento, quando disputou a Série B pela primeira vez. Rebaixado no ano anterior, a equipe colorada sofreu na segundona, com uma campanha irregular e com o vice-campeonato, muito criticado pelos seus torcedores que exigiam uma reação. Em 2018, a equipe voltou para a Série A do Brasileiro, mas a desconfiança continuou até Odair Hellmann ajeitar o time durante a competição e terminar o torneio na terceira posição e com vaga garantida na Libertadores.

Em 2019, tudo mudou. Grandes vitórias, boas campanhas, mas ainda faltava uma coisa, um título. Com a desclassificação para o Flamengo na Libertadores, a final da Copa do Brasil é a grande chance do Internacional, que não vence um título desde 2017, quando conquistou a Recopa Gaúcha.

Dentro de campo, o time de Porto Alegre tem grandes nomes como o meia D’Alessandro e o atacante Paolo Guerrero. Aos 38 anos, o argentino está muito perto de fazer história no Internacional. O jogador pode conquistar três Copas pelo mesmo clube, jogando em um país estrangeiro. Com 11 anos de Colorado, o meia já foi campeão da Copa Sul-Americana em 2008 e da Libertadores de 2010. Este também pode ser a última chance de título para o gringo, já que D’ale está muito próximo da aposentadoria.

Guerrero ainda busca seu primeiro título com o Internacional. Ele já venceu o Brasileirao de 2015 e o Mundial de Clubes em 2012 pelo Corinthians, inclusive fazendo gol na final. O peruano é um dos artilheiros da Copa do Brasil com cinco gols e vive um grande momento com o Colorado, com 13 gols em 24 partidas. Se marcar na final do Beira-Rio, termina o torneio como goleador pela primeira vez. Vale lembrar que ele foi destaque na classificação diante do Cruzeiro, o maior campeão do torneio (6), marcando dois gols na vitória por 3 a 0, exatamente no Beira-Rio.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados