Revolta

Taison é vítima de racismo e acaba expulso na Ucrânia

Pelotense foi insultado durante clássico contra o Dínamo, reagiu às ofensas mostrando o dedo e chutando a bola em direção aos criminosos e deixou o campo chorando

10 de Novembro de 2019 - 15h11 Corrigir A + A -
Lamentável: drama vivido por Taison tem sido comum em estádios ao redor do mundo (Foto: Divulgação - FC Shaktar)

Lamentável: drama vivido por Taison tem sido comum em estádios ao redor do mundo (Foto: Divulgação - FC Shaktar)

*Atualizada às 19h16min para acréscimo de informações.

O pelotense Taison, atacante do Shaktar Donetsk, foi vítima de racismo na Ucrânia neste domingo (10). Ele e o também brasileiro Dentinho foram insultados pela torcida do Dínamo de Kiev durante o clássico realizado em Metalist. Após reagir contra os "torcedores", Taison deixou o gramado chorando e ainda acabou expulso.

O lance que foi o estopim aconteceu aos 28 minutos do segundo tempo. Taison tentou roubar a bola do defensor e o árbitro marcou falta. Os torcedores do Dínamo passaram a imitar um macaco e a ofender o atacante, que se irritou e acabou mostrando o dedo do meio e chutando a bola em direção à arquibancada

Revoltados, Taison e Dentinho deixaram o gramado chorando, consolado por colegas e adversários. A partida ficou paralisada por alguns minutos e os jogadores do Dínamo tentaram conter os ânimos daqueles que haviam entoado os cânticos racistas para pedir que as ofensas parassem. Antes do jogo ser retomado, no entanto, Taison recebeu o cartão vermelho pela reação explosiva contra os criminosos.

O Shaktar venceu o clássico por 1 a 0 e lidera o campeonato ucraniano com 12 pontos de vantagem para o segundo colocado.

Manifestações

Ainda no domingo, Taison usou o Instagram para agradecer o apoio recebido. O jogador publicou uma foto do momento em que faz o gesto que causou sua expulsão e reiterou que se calar frente ao racismo não é uma opção. Minhas lágrimas foram de indignação, de repúdio e de impotência. O meu papel é lutar, bater no peito, erguer a cabeça e seguir lutando sempre!"

Confira o texto publicado por Taison:

"'Amo minha raça, luto pela cor, o que quer que eu faça é por nós, por amor...'

Jamais irei me calar diante de um ato tão desumano e desprezível! Minhas lágrimas foram de indignação, de repúdio e de impotência. Impotência por não poder fazer nada naquele momento! Mas somos ensinados desde muito cedo a sermos fortes e a lutar! Lutar pelos nossos direitos e por igualdade! O meu papel é lutar, bater no peito, erguer a cabeça e seguir lutando sempre! Em uma sociedade racista, não basta não ser racista, precisamos ser antirracistas! O futebol precisa de mais respeito, o mundo precisa de mais respeito! Obrigado a todos pelas mensagens de apoio. Seguimos a luta!"

O time de Taison e Dentinho também se pronunciou através das redes sociais oficiais contra as manifestações racistas ocorridas em Metalist. "O Shakhtar é uma grande família de jogadores de futebol, para quem esses incidentes humilhantes trazem dor e decepção", diz o texto. Confira na íntegra:

"O FC Shakhtar se opõe categoricamente a qualquer manifestação de racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerância relacionada. Não pode haver justificativa para aqueles que insultam com base em cores, crenças religiosas ou políticas. Esse comportamento é inaceitável nos países civilizados e nos campeonatos de futebol. A UEFA aplica as sanções mais rigorosas a clubes e associações cujos torcedores demonstram racismo nas partidas.

O Shakhtar é uma grande família de jogadores de futebol, para quem esses incidentes humilhantes trazem dor e decepção. Condenamos esse comportamento do público, sempre apoiaremos e protegeremos nossos jogadores. Pedimos às autoridades do futebol, aos clubes que parem o racismo nos estádios."

O Dínamo publicou foto da partida paralisada com a legenda "O futebol não é um lugar de racismo".

Veja a reação de Taison após os insultos em Metalist:


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados