Gauchão 2020

Sob o comando de Gegê

Outra vez com ótima atuação do camisa 10, Brasil vence o São Luiz e conquista primeira vitória com Hemerson Maria

29 de Julho de 2020 - 17h35 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Gegê marcou o único gol do jogo em boa cobrança de pênalti (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

Gegê marcou o único gol do jogo em boa cobrança de pênalti (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

Um ditado no futebol diz: é mais fácil evoluir vencendo. A vitória contra o São Luiz na tarde desta quarta-feira (29), na Arena Cruzeiro, por 1 a 0, servirá para que o novo modelo de jogo do técnico Hemerson Maria ganhe corpo e os atletas tenha confiança para jogar. Em termos de tabela de classificação, o Xavante já está eliminado do grupo B. Mesmo que vença o clássico Bra-Pel, que será disputado sábado na Boca do Lobo - após a prefeitura liberar a partida -, o Rubro-negro não poderá alcançar o Esportivo, que tem 11 pontos. Já na classificação geral, o Brasil chegou a 11 pontos e deixou o Z-2 para trás. 

A partida

A primeira vitória do técnico Hemerson Maria veio sob o comando de Gegê. O camisa 10 foi o grande destaque da equipe que iniciou com três mudanças em relação ao jogo contra o Juventude. Maria sacou Jacone, Simião e Revson, colocando Leandro Leite, Ananias e Jarro.

“Eu gostei mais quando o Gegê veio para dentro. Não que ele não tenha feito uma boa partida pelo lado, jogando de pé trocado, mas quando ele veio para dentro a equipe teve um pouco mais de mobilidade e agressividade”, justificou Maria.

A mudança surtiu efeito em termos de características, porém o Brasil manteve o 4-1-4-1, desta vez tendo Gegê organizando o jogo por dentro e não a partir da ponta direita. A entrada de Jarro deu resposta imediata. Na primeira arrancada, aos 2 minutos, o atacante foi derrubado na área. Pênalti que Gegê converteu com categoria. O início que parecia animador do Brasil acabou não se concretizando. Foi o São Luiz quem deu as cartas no restante do primeiro tempo, sendo mais perigoso.

Foram quatro boas finalizações da equipe de Pícoli, as duas melhores em cabeçada de Tássio e em falta cobrada por Michel. O Xavante, que teve diversos erros técnicos e de passe, fez apenas uma boa jogada além do gol. Gegê achou ótimo passe para Ananias na entrada da área, aos 44 minutos, e o volante finalizou por cima.

Volta

O Xavante voltou mais calmo do vestiário e passou a errar menos passes. Apesar disso, apenas Gegê conseguia acelerar a bola. O camisa 10 deixou Poveda em ótima condição dentro da área, porém o atacante errou a tomada de decisão e foi desarmado. Nathan também conseguiu achar espaço para finalizar, assim que entrou em campo substituindo Poveda, mas pegou mal na bola e o chute saiu sem perigo.

Tendo a bola desde o campo de defesa, o Brasil apresentava lentidão na troca de passes. Leite fugiu do seu estilo apenas destruidor e tentou várias vezes participar da construção rubro-negra. Jarro buscava a bola por dentro e poucas vezes recebeu o passe na frente para poder arrancar em velocidade, como na jogada do pênalti, e levar perigo ao gol adversário.

Com o passar do tempo, Maria fez várias mudanças, mas não alterou o desenho tático. Gegê ainda atuou na ponta direita e também como referência móvel quando Jarro saiu lesionado.

Avaliação

O técnico Hemerson Maria destacou a importância da vitória diante do São Luiz e a presença do capitão Leandro Leite. Porém, o treinador deixou claro que não vê Leite sendo titular como o volante na frente da área.

“Era um jogo decisivo. Caso não vencêssemos, poderíamos levar uma pressão muito grande. Perder aqui significaria perder uma verba na frente. A entrada do Leandro deu essa liderança para a equipe. Não é o jogador que eu quero para atuar ali, mas fez com que a equipe ganhasse confiança”, avaliou.


Ficha técnica

São Luiz: Lúcio; Itaqui, Silvio, Jadson e Gabriel; Rafael Jataí (Ariel), Jonathan (Everton Junior), Tassio (Paulinho), Jean Carlo, Crispim (Danilo Bala) e Michel. Técnico: Picoli

Brasil: Matheus Nogueira; Maicon Silva, Lázaro, Héverton e Matheus Mendes; Leandro Leite, Ananias, Jarro (Simião), Gegê e Poveda (Nathan); Wesley (Sousa). Técnico: Hemerson Maria


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados