No interior paulista

"Quem Luta Não Briga" conquista ouros na Surdolimpíada

Resultados de Marcelo Bispo e Lucas Ribeiro dão vaga aos dois jovens pelotenses no evento internacional para surdos Deaflympics, que acontecerá em Caxias do Sul

07 de Dezembro de 2021 - 16h07 Corrigir A + A -
Dupla pelotense venceu todas as provas que disputou (Foto: Divulgação - Smed)

Dupla pelotense venceu todas as provas que disputou (Foto: Divulgação - Smed)

A equipe de taekwondo do projeto pelotense “Quem Luta Não Briga” (QLNB) encerrou a participação na Surdolimpíada nacional, em São José dos Campos (SP), com a conquista de duas medalhas de ouro. O evento contou com 15 modalidades esportivas e se encerrou na tarde desta terça (7), com a participação de atletas surdos de todo o país.

O resultado rendeu vaga para os pelotenses Marcelo Bispo e Lucas Ribeiro na Deaflympics, organizada pelo Comitê Internacional de Desportos de Surdos (ICSD), que na próxima edição ocorrerá no Brasil, na cidade de Caxias do Sul, em maio de 2022.

A dupla de Pelotas, acompanhada pelo mestre Rossano Diniz, coordenador do QLNB, da Secretaria de Educação e Desporto (Smed), venceu todas as provas em que participou. Foram duas lutas para cada um dos dois atletas. De acordo com Diniz, os planos para os atletas de alto rendimento do projeto envolvem focar no treino para, em cinco meses, enfrentar os melhores lutadores do mundo na modalidade de taekwondo para surdos.

Sobre a Deaflympics

A primeira Surdolimpíada internacional foi realizada em 1924, em Paris, com 145 atletas de nove países europeus que participaram em sete modalidades: atletismo, ciclismo, saltos ornamentais, futebol, tiro, natação e tênis. Segundo informações do site da Confederação Brasileira de Desportos de Surdos (CBDS), o número de participantes nas Surdolimpíadas vem aumentando nas últimas edições.

Em 2013, 2.711 surdoatletas de 83 países participaram do 22° Summer Deaflympics (Verão), em Sofia, na Bulgária. E em 2015, 336 surdoatletas de 27 países estiveram presentes no 17° Winter Deaflympics (Inverno) em Khanty-Mansiysk, na Rússia.

Desde 1996, os deficientes visuais não participam das Paralimpíadas devido a um acordo entre as entidades esportivas decorrente da natureza específica da deficiência auditiva.

Quem Luta Não Briga

O projeto Quem Luta Não Briga é coordenado pela Secretaria de Educação e Desporto, em parceria com o Instituto de Menores Dom Antônio Zattera e Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O projeto integra o eixo de Prevenção Social do Pacto Pelotas pela Paz, por meio da Estratégia Infância Protegida.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados