Série B

Presidente Nilton Pinheiro não confirma aumento da cota de TV para o Brasil

Informação é de que valor subiria 23% em relação ao ano passado

30 de Abril de 2021 - 20h32 Corrigir A + A -
Informação é de que valor subiria 23% em relação ao ano passado (Foto: Divulgação - DP)

Informação é de que valor subiria 23% em relação ao ano passado (Foto: Divulgação - DP)

A recente informação divulgada pelo portal UmDois Esportes, envolvendo o suposto aumento da cota de televisão destinada aos clubes da Série B, não foi confirmada pelo presidente do Brasil, Nilton Pinheiro.

Em contato com a reportagem do Diário Popular, o dirigente rubro-negro desconversou sobre a mudança, afirmando que o clube só considera contatos oficiais vindos da CBF. O discurso institucional não indica incremento nas receitas xavantes para o Brasileirão, ao menos por enquanto.

O valor bruto oriundo dos meios de transmissão subiria 23% em relação a 2020, chegando a R$ 7,8 milhões. Seria um acordo coletivo, do qual nem todos precisam fazer parte. Os cariocas Vasco e Botafogo, por exemplo, preferem apostar nos ganhos variáveis de Pay-Per-View, já que possuem torcidas de massa a nível nacional.

Movimentações

Ativo no mercado para formar o grupo que vai disputar a Série B, o Brasil estaria negociando com dois atletas além do atacante Fabrício, que deve voltar à Baixada por empréstimo do Grêmio. Os nomes circulando são os de Reinaldo Dutra, 32 anos, do Ypiranga, que foi volante durante longo período e recentemente virou zagueiro em Erechim, e Peninha, meio-campista canhoto de 28 anos do Brasiliense.

Se alguns podem chegar, outros saem. O lateral André Krobel é um dos que deixa a Baixada, assim como Éverton Dias, que já rescindiu contrato.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados