Medida

Policiais envolvidos na ação com torcedor do Brasil são afastados de atividades

Doze militares foram identificados, e inquérito segue em andamento. Nove testemunhas das agressões serão ouvidas semana que vem

11 de Maio de 2022 - 18h40 Corrigir A + A -
Decisão foi confirmada nesta quarta-feira, dia marcado por reunião do presidente xavante Evânio Tavares com o governador Ranolfo Vieira Júnior, o deputado Viana (ambos do PSDB) e outras autoridades, como o comandante da BM, coronel Feoli, e o secretário de Segurança Pública, Vanius Santarosa (Foto: Vinícius Conrad)

Decisão foi confirmada nesta quarta-feira, dia marcado por reunião do presidente xavante Evânio Tavares com o governador Ranolfo Vieira Júnior, o deputado Viana (ambos do PSDB) e outras autoridades, como o comandante da BM, coronel Feoli, e o secretário de Segurança Pública, Vanius Santarosa (Foto: Vinícius Conrad)

Doze policiais envolvidos na abordagem da Brigada Militar que gerou a ida do torcedor xavante Raí Duarte ao hospital, em estado grave, no dia 1º de maio, foram afastados temporariamente das atividades do Batalhão de Choque.

A decisão foi confirmada nesta quarta-feira (11), dia marcado por reunião do presidente do Grêmio Esportivo Brasil, Evânio Tavares, com o governador do Estado, Ranolfo Vieira Júnior, o deputado estadual Luiz Henrique Viana (ambos do PSDB) e demais autoridades, como o secretário de Segurança Pública, Vanius Santarosa, e o comandante da BM, Coronel Feoli, por exemplo.

Os militares identificados continuam na corporação realizando outras tarefas, enquanto o inquérito instaurado pela própria BM, via Corregedoria-geral, avança com a intenção de apurar as circunstâncias e responsabilidades. Estima-se mais 40 dias de duração das investigações. Durante a próxima semana, nos dias 17 e 18, nove testemunhas da agressão a Raí prestarão depoimento na sede do Ministério Público, em Pelotas.

"A reunião foi positiva. O governador sinalizou estar interessado na punição exemplar dos envolvidos. Eles falaram sobre o andamento das investigações. Estão buscando uma série de imagens em câmeras para a produção de provas que comprovem o que ocorreu. As imagens do São José ainda não foram passadas devido a uma situação técnica. Eles já disponibilizaram todo o aparato para auxiliar a empresa responsável a buscar as imagens", disse o advogado Rafael Martinelli, torcedor rubro-negro, que também estava presente no encontro.

"Gostaria de me solidarizar à família do Raí. A situação está sendo acompanhada por várias entidades, justamente para ter um comprometimento com a verdade. Essa foi a mensagem do governador aos representantes do Brasil", afirmou o secretário Santarosa. Ele acrescentou que órgãos como Ministério Público, Tribunal de Justiça Militar, Ministério Público Militar e Comissão de Direitos Humanos da OAB acompanham a investigação de Corregedoria-geral da BM.

"Abriu-se a possibilidade de o Brasil contribuir com a produção das provas, reunindo os vídeos e elencando possíveis testemunhas. Reforcei a importância da BM. E pedi total transparência, rigor e rapidez nas investigações. A sociedade de Pelotas está abalada com o que aconteceu. E exige respostas", declarou o deputado Viana.

Reunião anterior cancelada

Durante a manhã desta quarta ainda haveria um encontro da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Assembleia Legislativa (AL) do Estado com o comando da Brigada Militar. Porém, de última hora a reunião acabou sendo cancelada pelo representante da BM.

Raí apresenta piora no quadro

Nesta quarta-feira foi registrada piora no estado de saúde do torcedor agredido. Os médicos precisaram reabrir a região da cirurgia anterior devido a um inchaço no abdômen, pois Raí vomitou.

Conforme a última atualização antes do fechamento desta reportagem, seria feita uma tomografia para identificar ao certo o ocorrido. Não estava descartada uma nova operação - a quarta, caso realizada.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados