Série B

Poderia ser melhor

Brasil sai atrás do placar, busca a virada ainda no primeiro tempo, mas erros bobos custam a vitória no Heriberto Hülse

08 de Outubro de 2019 - 23h02 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Brasil somou mais um ponto na Série B. (Foto: Caio Marcelo - Criciúma EC)

Brasil somou mais um ponto na Série B. (Foto: Caio Marcelo - Criciúma EC)

O Brasil vai voltar de Criciúma com um ponto importante na bagagem. Mas a realidade é que o empate em 2 a 2 com o Criciúma, na noite desta terça-feira (8), teve um sabor amargo para os rubro-negros. Depois de tomar um gol nos primeiros minutos, o Xavante buscou a virada ainda na primeira etapa e se encaminhava para mais uma vitória longe de casa. Mas o pênalti cometido por Rodrigo Alves e a expulsão de Ricardo Luz acabaram custando caro para as pretensões do clube.

Com o resultado, o time atinge a meta estipulada pelo técnico Bolívar e volta após dois jogos como visitante com quatro pontos somados - empate com o Criciúma e vitória sobre o Operário. O rubro-negro permanece no 12º lugar com 34 pontos e tem cinco de vantagem para o Vila Nova, que abre a zona de rebaixamento. O próximo compromisso da equipe será na sexta-feira (11), quando recebe o Botafogo-SP, no Bento Freitas.

O Xavante entrou em campo muito modificado. Além da entrada de Marcão no lugar do suspenso Carlos Eduardo, o técnico Bolívar mexeu em outras três posições. Sem Pará, com desconforto muscular, Willian Formiga voltou à lateral esquerda. No meio, Washington ficou com a vaga que foi de Carlos Jatobá na rodada anterior. A outra mudança foi no lado direito, com a entrada de Juba no lugar de Murilo Rangel.

Antes que fosse possível analisar o efeito das alterações, o Criciúma abriu o placar. Aos sete minutos Daniel Costa bateu falta, Vinícius ganhou no alto e, de cabeça, colocou o Tigre na frente. Mas cinco minutos depois veio uma ducha de água fria nos catarinenses. Ricardo Luz cobrou escanteio rasteiro, o zagueiro Thales se atrapalhou todo e acabou marcando contra.

O jogo acabou pegando fogo na reta final do primeiro tempo. E o Brasil contou com o talento de Diogo Oliveira para virar a partida. Aos 35 minutos, o maestro fez o que quis com o marcador e cruzou na medida para Washington, de cabeça, fazer o 2 a 1. O Tigre cresceu na reta final e só não empatou na etapa inicial porque Marcão fez duas grandes defesas em cabeceios de Léo Gamalho.

Segundo tempo
A partida parecia dominada, mas os erros individuais custaram caro para o Xavante. Aos 22 minutos, Andrew recebeu na lateral da área e foi atropelado por Rodrigo Alves. Pênalti muito bem marcado pelo árbitro Igor Benevenuto. Daniel Costa bateu muito bem e empatou a partida mais uma vez.

Já era certo que o Criciúma partiria para a pressão nos minutos finais. Os donos da casa ainda tiveram sua vida facilitada quando Ricardo Luz, que já tinha cartão amarelo, puxou a camisa de Vinícius, recebeu mais um cartão e foi expulso de campo.

Com um a mais em campo o Tigre encurralou o Brasil no campo de defesa e a virada parecia questão de tempo. O que os catarinenses não contavam é que o goleiro Marcão atuasse no nível do titular Carlos Eduardo. O camisa 12 fechou o gol e garantiu mais um ponto importante para o rubro-negro na Série B do Campeonato Brasileiro.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados