Série D

Pelotas empata em casa com o lanterna

Lobo faz segundo tempo ruim e vê Tubarão buscar a igualdade na Boca do Lobo

21 de Outubro de 2020 - 17h25 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Lobo não resistiu à boa atuação do Tubarão no segundo tempo na Boca do Lobo (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Lobo não resistiu à boa atuação do Tubarão no segundo tempo na Boca do Lobo (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Um Pelotas irreconhecível no segundo tempo viu o Tubarão dominar e sair da Boca do Lobo com um ponto após o empate por 1 a 1. O Lobo vacilou diante do lanterna pela 8ª rodada da Série D do Brasileiro e agora soma 12 pontos, podendo deixar o G-4 até o fim da rodada. A chance de se recuperar será contra o São Caetano, no próximo sábado, às 18h, em São Paulo.

O jogo

Com retorno de Felipe Chaves, no lugar de Mateus Santana, e com Daniel Costa substituindo Itaqui, o Pelotas no momento ofensivo trocou o 2-3-5 pelo 3-2-5. Gabiga alinhou com a dupla de zaga, Chaves ficou como zagueiro central na sobra e Fábio Alemão teve liberdade para avançar.

A formação deu certo no começo. Uma blitz áureo-cerúlea deu resultado logo no início. Na cobrança de falta de Marcelo, aos 7 minutos, Fábio Alemão apareceu no segunda trave e desviou para abrir o placar.

Apesar de sair na frente, o Pelotas não conseguiu controlar totalmente o Tubarão. Os visitantes tentaram ter a posse da bola e assustaram em algumas jogadas de velocidade. A mais perigosa foi uma bicicleta do camisa 10, Aslen, que passou por cima do gol de Renan.

O Lobo teve mais duas chances. A primeira em cabeçada de Felipe Chaves, que ficou nas mãos do goleiro do Tubarão, e depois com Moisés, dentro da área, que acabou isolando.

Segundo tempo

Na volta do intervalo o Pelotas pareceu outro. Abriu mão de tentar construir e apelou muito para o chutão. Assim, quem controlou as ações foi o Tubarão. O time visitante teve a bola e empurrou o Áureo-cerúleo para trás.

Para piorar, as trocas do técnico Colbachini não surtiram efeito. As entradas de Paulinho e Vini Garcia, nas vagas de Ariel e Daniel Costa, trouxeram o Lobo ainda mais para perto do gol. A partir daí, os catarinenses empilharam chances e foram parando no goleiro Renan, que fez grandes defesas. Até que aos 37 minutos Aslen colocou a bola no fundo da rede.

“Não abdicamos do ataque. Acabamos por fortalecer sim um pouco mais o meio de campo, pois estávamos perdendo o controle da partida. O Tubarão estava com mais posse e chegando com período. Queríamos fortalecer o meio para não sofrer o gol, mas infelizmente sofremos. A nossa estratégia não deu certo e agora queremos olhar para frente e mirar o nosso próximo adversário”, analisou Colbachini.

Ficha técnica

Pelotas: Renan; Marcelo, Fábio Alemão, Felipe Chaves e Gabiga (Wendell); Moisés (Milla), Ramires, 
Daniel Costa (Vini Garcia), Juliano (Bruninho), Ariel (Paulinho) e Marcão. Técnico: Ricardo Colbachini

Tubarão; Guilherme; Ramires, Gutierrez, Vitor e Anderson; Eduardo Meuer, Vico (Cássio), Aslen (Pablo)
Gleydson, Kendy e Alex Nemetz. Técnico: Isaque Pereira


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados