Série B

Pelo menos acabou 2019...

Brasil tem atuação horrível em Campinas e é facilmente derrotado por 4 a 0 pela Ponte Preta na última rodada da Série B

26 de Novembro de 2019 - 21h03 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Brasil sofreu três gols em apenas 21 minutos (foto: Ponte Press)

Brasil sofreu três gols em apenas 21 minutos (foto: Ponte Press)

A única notícia boa para o torcedor xavante na noite desta terça-feira (26) é que o sofrido ano de 2019 acabou. E terminou de uma maneira melancólica. Com uma derrota por 4 a 0, sendo que três gols saíram com 21 minutos de jogo, e sem nenhuma força para reagir. O técnico Bolívar chegou a esbravejar após o terceiro gol: "Vocês não vão me fazer passar vergonha aqui hoje, não". Muito da vergonha que o Xavante passou foi pelas escolhas do comandante, de dar sequência a um time que não vence há cinco partidas e com sérias dificuldades técnicas.

A vergonha do técnico Bolívar e do Brasil materializou-se em oito minutos. O Xavante até começou o jogo bem postado, mas após uma boa trama entre os jogadores da Ponte Preta, Lucas Mineiro recebeu livre na área e abriu o placar aos 13 minutos. Cinco minutos depois, em belo contra-ataque puxado por Bill, que tabelou com Cajá e driblou Carlos Eduardo, a Macaca fez o segundo. Aos 21, novamente em velocidade, Renato Cajá fez o terceiro, para a irritação de Bolívar fora de campo.

A Ponte abriu 3 a 0 na metade inicial do primeiro tempo. Depois administrou o restante desta etapa. O Xavante chegou uma vez em bola lançada para Murilo Rangel, que Ivan neutralizou.

Ainda pior
Na retomada do vestiário, o Xavante voltou com Maicon Assis no lugar de Murilo Rangel. Ari Moura passou a jogar solto e mais próximo de Guilherme Queiroz. O rubro-negro até esboçou uma reação nos primeiros cinco minutos. Juba teve duas oportunidades de cabeça. Primeiro em um escanteio, que a bola tirou tinta da trave após o atacante cabecear, e depois em falta levantada por Ednei, quando a bola cabeceada por Juba parou nas mãos de Ivan.

Só que aos 20 minutos o placar elástico virou goleada. O lance começou com Ednei sendo expulso pelo segundo amarelo, ao derrubar Bill. Na falta, Araos cobrou forte e Leandro Leite cabeceou para o próprio gol. Para não dizer que o time xavante não fez nada, Maicon Assis acertou a trave em chute da intermediária.

O Xavante termina a Série B na 14ª posição com 44 pontos.

Cobrança
"A explicação é que novamente batemos na tecla da desatenção e falta de concentração. Passamos tudo para eles, às vezes foge da nossa alçada fora de campo. Novamente pecamos e pagamos caro. A estratégia é montada em cima do adversário. Faz-se toda uma análise e mostram-se os vídeos. Os gols acontecem por desatenção, não acompanhamento, e isso não pode acontecer contra uma equipe de qualidade. Criamos muito pouco. Sabemos que temos muita dificuldade quando a bola cai no nosso pé. A estratégia é montada, a execução é dos atletas. Temos que nos sentir envergonhados. Não podemos perder dessa maneira. Não posso passar o jogo todo narrando ali fora", afirmou Bolívar.

 

Ficha técnica
Ponte Preta; 
Ivan; Alexandre, Léo, Trevisan e Arnaldo; Lucas Mineiro, Camilo (Igor), Bill e Cajá (Araos);
Dadá (Belmonte) e Roger. Técnico: Gilson Kleina

Brasil; Carlos Eduardo; Ednei, Bruno Aguiar, Nirley e Formiga; Leandro Leite, Jatobá, Murilo Rangel (Maicon Assis), Juba (Ricardo Luz) e Ari Moura (Cristian); Guilherme Queiroz
Técnico: Bolívar

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados