Copa Seu Verardi

O resgate de Jean Roberto

Utilizado como falso 9, meia se destaca contra o Caxias e volta a marcar um gol com a camisa do Pelotas

05 de Novembro de 2019 - 10h38 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Jean Roberto voltou a atuar em bom nível. (Foto: Tales Leal/ECP)

Jean Roberto voltou a atuar em bom nível. (Foto: Tales Leal/ECP)

Jean Roberto deixou o Pelotas no meio do ano passado como um dos grandes nomes do título da Divisão de Acesso. Saiu com destino à Chapecoense, na elite do futebol nacional, mas as coisas não saíram como o meia planejava. Após uma passagem apagada por Santa Catarina e também pelo Maringá, o jogador aposta em seu retorno à Boca do Lobo para reencontrar o bom futebol apresentado na temporada passada.

Desgastado pela sequência de jogos e viagens, Giovane Gomez sentiu o ritmo da partida e o técnico Antônio Picoli resolveu tirá-lo de campo no segundo tempo contra o Caxias, domingo (3), no estádio Centenário. Sem outro centroavante no elenco, a saída foi improvisar Jean Roberto no setor. E o meio-campista deu conta do recado. Tanto que foi dele o gol que colocou o Lobão em vantagem na semifinal da Copa Seu Verardi.

"Gol importante. Sabíamos que seria um jogo difícil, contra uma equipe que gosta de propor o jogo, que estava dentro de casa, um time que também tem tradição de Série A. Conseguimos controlar as jogadas deles e soubemos aproveitar as oportunidades. Tivemos mais oportunidades no primeiro tempo e não Conseguimos converter e graças a Deus fui feliz ali no segundo tempo e pude fazer o gol da vitória", analisou.

Depois de ajudar a colocar o Pelotas na elite do futebol gaúcho, Jean Roberto parecia pronto para dar o salto na carreira. Foi contratado pela Chapecoense para, em um primeiro momento, reforçar a equipe no Campeonato Brasileiro de Aspirantes. Mas as coisas não ocorreram como ele gostaria. Sincero, o jogador de 25 anos revelou que ainda não estava preparado para este desafio. "Na Chapecoense o nível era diferente, era mais acima, e eu não estava no nível dos caras. Não tem nem como colocar a culpa neles, é um campeonato diferente do que eu estava jogando aqui no Pelotas. O jogo é mais rápido e eu não estava no ritmo deles", disse.

Sobre a passagem pelo Maringá, o meio-campista lamentou o pouco tempo de trabalho com Picoli e, mais uma vez, foi sincero ao falar de sua condição física. "No Maringá eu não tive muita oportunidade, quando o Picoli chegou eu fui contratado em seguida, no segundo turno, e acabei não tendo oportunidade, ele ficou apenas três jogos do returno. Não deu tempo dele me ver jogando, até porque eu cheguei fora de forma, um pouco acima do peso, já estava sem jogar na Chapecoense há um bom tempo", lembrou.

Juntos novamente, o jogador aposta no conhecimento do treinador para, enfim, decolar na carreira. "Aqui ele vem conversando direto comigo, vem me dando moral. E só tenho a crescer com ele. O Picoli é um cara que jogou, então tudo que ele falar serve de exemplo, foi um cara que venceu na carreira. A gente tenta assimilar tudo o que ele fala para crescer junto", finalizou Jean Roberto.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados