Análise

O que esperar dos clubes no Gauchão?

Diário Popular traz, a partir desta terça-feira, análises e informações dos adversários da dupla Bra-Pel; o primeiro raio-x é o sobre o Aimoré

23 de Fevereiro de 2021 - 12h12 Corrigir A + A -
Aimoré venceu o Pelotas por 1 a 0 em amistoso no último sábado. (Foto: Fernando Campos/Aimoré)

Aimoré venceu o Pelotas por 1 a 0 em amistoso no último sábado. (Foto: Fernando Campos/Aimoré)

A partir do próximo final de semana, caso não haja desdobramentos em relação às medidas sanitárias contra a pandemia promovidas pelo governo do estado, a bola irá rolar para a primeira rodada do Campeonato Gaúcho. A edição contará com 12 equipes: Brasil, Pelotas, Juventude, Caxias, Ypiranga, Novo Hamburgo, Grêmio, Internacional, São Luiz, Esportivo, São José e Aimoré.

A partir desta terça-feira (23), o Diário Popular traz análises e informações das equipes que irão enfrentar a dupla Bra-Pel. O primeiro raio-x será sobre o Aimoré, adversário do Xavante neste sábado, às 16h, no estádio Bento Freitas. Amanhã será a vez de conhecer o Novo Hamburgo, que encara o Pelotas no mesmo dia e horário, no estádio do Vale.


Análise por Vinicius Guerreiro

Clube: Aimoré

Técnico: Gilson Maciel

Esquema: 4-1-4-1

Variações com a bola: 3-4-3/3-5-2

Ponto forte: duelos físicos e jogo de primeira e segunda bola

Momento Ofensivo

O modelo do Aimoré baseia-se no jogo físico. É uma equipe extremamente forte fisicamente e que leva vantagem nos duelos. O modelo ofensivo parte justamente dessa característica, um time que marca no 4-1-4-1 com encaixe por setor e perseguições médias. A ideia é pressionar sempre o portador da bola em todos os setores e correr para frente. Ao roubar a bola, sair em transição rápida com os pontas velozes que possuem características de 1x1 e laterais que fazem ultrapassagem constantes. Érico (ou Guilherme) joga com o pé invertido pelo lado esquerdo e puxa para dentro para buscar finalização ou tabelar com Neto Baiano no pivô.
Propor o jogo não é o ponto forte da equipe, apesar de apresentar uma variação com a saída de três - recuando o William Mineiro junto aos zagueiros e liberando os laterais - principalmente o esquerdo Lucas, pelos corredores.

Os pontas acabam vindo por dentro para se aproximarem de Jean Roberto, que fica sempre na base da jogada para circular a bola. A equipe forma um 3-4-3/3-5-2 tendo trocas posicionais entre extremas e laterais. Os meias buscam atacar o espaço no último terço. Denoni é o meia de maior mobilidade do Aimoré. Porém, há dificuldade na circulação rápida da bola e de jogo apoiado, por isso a alternativa principal é buscar Neto Baiano na disputa da primeira bola.

Momento Defensivo

É um time que consegue se manter compacto mesmo com as perseguições médias e longas. A maior fragilidade do time de São Leopoldo ocorre se o adversário conseguir quebrar a pressão alta, pois como a defesa não sobe muito e o volante William acaba perseguindo o jogador que pisa na zona central, fica um buraco entre os setores. Em bloco médio e baixo, o Índio Capilé consegue se manter organizado mesmo com William saindo da frente da área no encaixe do adversário, mas a linha de meio se mantém próxima da linha de defesa.

Uma característica forte do Aimoré é a transição defensiva. A recomposição da equipe é rápida após tentar a pressão pós-perda. Apenas Jean Roberto e Neto Baiano não apresentam boa velocidade na recuperação.

Por outro lado, os encaixes individuais possibilitam uma movimentação da estrutura defensiva do Capilé caso o adversário circule a bola com velocidade e apresente movimentos de arraste para deslocar o marcador.

Dúvidas

Para o jogo de estreia contra o Brasil no Bento Freitas, existem algumas dúvidas. O zagueiro Tahlheimer não atuou contra o Pelotas, mas deverá ser titular ao lado de Renato. No ataque Guilherme pode ficar com a vaga de Marcelinho, após bom rendimento contra o Lobo. Guilherme é um jogador de habilidade e forte um contra um. Caso entre no time titular, deverá atuar no lado esquerdo e Érico ser deslocado para a direita da linha ofensiva.

Dois prováveis titulares ao longo da temporada serão o lateral esquerdo Henrique Ávila, ex-Ypiranga, e o meia Janeudo, ex-Manaus, mas eles devem ficar no banco diante na Baixada.

Time base: Raul; Bruno, Thalheimer, Renato e Lucas; William, Jean Roberto e Denoni; Érico, Guilherme e Neto Baiano. Técnico: Gilson Maciel.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados