Gauchão 2020

Na mira do TJD-RS

Procuradoria do tribunal vai denunciar o Pelotas por canto da torcida em sistema de som

04 de Agosto de 2020 - 15h11 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Cânticos foram reproduzidos no Bra-Pel de sábado (1º). (Foto: Jô Folha - DP)

Cânticos foram reproduzidos no Bra-Pel de sábado (1º). (Foto: Jô Folha - DP)

A Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD) prepara uma denúncia contra o Esporte Clube Pelotas. O motivo: cantos de cunho racista e homofóbico reproduzidos pelo sistema de som do estádio da Boca do Lobo durante o clássico Bra-Pel do último sábado, válido pela Taça Francisco Novelletto Neto, o segundo turno do Campeonato Gaúcho.

Em vídeo amplamente divulgado em redes sociais, um dos cânticos entoado pela torcida áureo-cerúlea utiliza o termo "macaco" para se referir aos xavantes. Em nota, o clube informou que a responsabilidade pela captação e reprodução do áudio coube a uma empresa terceirizada e lamentou a "reprodução de cânticos com conteúdo provocativos ao adversário", conforme trecho da nota publicada  nesta terça-feira (4) no site oficial do Pelotas. Ainda segundo o clube, não foi possível revisar o conteúdo das gravações antes da partida.

Os gritos discriminatórios são recorrentes no futebol, mas desde o ano passado a regulamentação do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) não permite este tipo de conduta. O clube será denunciado no artigo 243-G do CBJD: "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência". A pena prevê perda de pontos e multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

Confira a nota publicada pelo clube
O Esporte Clube Pelotas vem a público se manifestar a respeito do fato ocorrido no clássico Bra-Pel 364, realizado no dia 01/08/2020.

Por ser um jogo sem a presença de torcedores, em conformidade com as determinações das autoridades competentes, o clube optou por contratar uma empresa de sonorização terceirizada para apresentar cânticos dos nossos torcedores que deveriam ter como único objetivo incentivar nossos atletas para o clássico.

Infelizmente a empresa contratada também inseriu, ao arrepio do clube, cânticos provocativos ao clube adversário.

Gostaríamos de frisar que a reprodução de cânticos com conteúdo provocativos ao adversário jamais foi o escopo da contratação.

Registramos que, tendo em vista o apertado calendário ao que o clube foi submetido e a diminuição do seu quadro de colaboradores em decorrência da crise financeira agravada pela pandemia, não tivemos condições de revisar previamente o conteúdo dos cânticos apresentados.

De qualquer forma, reiteramos que o objetivo da contratação era de que os cânticos fossem de exclusivo incentivo aos nossos atletas.

Lamentamos a apresentação de cânticos provocativos ao nosso tradicional adversário, pois não compactuamos com atos hostis e/ou ofensivos a quem quer que seja.

Pelo ocorrido, o Esporte Clube Pelotas apresenta respeitoso pedido de desculpas aos desportistas, aos torcedores e profissionais dos dois clubes, a quem se sentiu ofendido e ao público em geral.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados