Luto

Morre Julio Secco, lenda do jiu-jitsu na região sul

Grande Mestre foi responsável por fomentar o esporte e revelar vários nomes do jiu-jitsu gaúcho

15 de Janeiro de 2022 - 22h33 Corrigir A + A -

Por: Fernando Rascado
esporte@diariopopular.com.br

Grande Mestre não aceitava ter alunos carregando sua bandeira sem conhecê-los pessoalmente e sem poder dar aulas diretamente para eles (Foto: Arquivo pessoal)

Grande Mestre não aceitava ter alunos carregando sua bandeira sem conhecê-los pessoalmente e sem poder dar aulas diretamente para eles (Foto: Arquivo pessoal)

Morreu neste sábado (15), aos 83 anos, o Grande Mestre de jiu-jitsu Julio Secco. Julio foi um dos primeiros alunos e professores da academia de Hélio Gracie, no Rio de Janeiro no início dos anos 60 e era um dos poucos faixas vermelhas no mundo.

O Grande Mestre nasceu em Belém do Pará, mas foi criado no Rio de Janeiro, onde iniciou seus aprendizados de jiu-jitsu ainda na infância, tendo aulas diretamente com Hélio Gracie. No fim da década de 90, se mudou para o Rio Grande do Sul e começou a dar aula nas cidades de Pelotas, Jaguarão e Rio Grande.

A presença de Julio Secco na Região Sul serviu para elevar o nível e fomentar ainda mais o esporte com a presença de um dos maiores nomes do jiu-jitsu nacional. Com o passar dos anos, o Grande Mestre conseguiu formar uma equipe numerosa e vitoriosa.

Secco sempre teve muito orgulho do jiu-jitsu que ensinava e recusou ofertas para abrir filiais em outras cidades e no exterior, já que não aceitava ter alunos carregando sua bandeira sem conhecê-los pessoalmente e sem poder dar aulas diretamente para eles.

O GM também era conhecido pela sinceridade e opiniões fortes, onde liderava sua equipe, mesmo com a idade avançada. Faleceu de causas naturais, em sua residência, mas deixa um legado de grandes ensinamentos, que serão perpetuados pelos seus alunos e admiradores. 

Atualmente estava morando em Rio Grande, mas mesmo com a saúde debilitada, seguia com academias em Pelotas e Rio Grande com mais de 300 alunos. 

O jiujiteiro pelotense, Leandro Ribas, comentou sobre a importância que o Grande Mestre Júlio Secco teve em sua carreira. "Ele sempre perguntava por mim quando chegava na academia, algo que fazia com poucos e isso só me motivava ainda mais para manter este vínculo. Ele sempre sabia quando eu iria lutar, então a gente tinha uma relação de amizade muito legal. Quando estava dando aula me chamava para corrigir uma posição, as vezes ele assistia meus vídeos que eu postava e corrigia. Foi um Mestre muito presente na minha carreira."

Leandro tinha um lindo objetivo para 2022 com o Grande Mestre Julio Secco. "Eu estava esperando receber a faixa preta este ano das mãos dele, que era uma coisa que eu sempre quis e infelizmente não deu".  

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados