Mudança

“Meu tempo se esgotou”, diz Gilmar Schneider

Após eliminação para o Passo Fundo, presidente do Pelotas afirma que não segue no clube

27 de Junho de 2022 - 18h47 Corrigir A + A -

Por: Fernando Rascado
esporte@diariopopular.com.br

Gilmar estava desde 2017 na presidência do Pelotas (Foto: Tales Leal - ECP)

Gilmar estava desde 2017 na presidência do Pelotas (Foto: Tales Leal - ECP)

Um dia depois da eliminação para o Passo Fundo, muitas perguntas seguem no ar quanto ao futuro do Esporte Clube Pelotas. A principal questão era sobre disputar a “Copinha” ou ficar sem jogar até 2023, quando o Lobo participará novamente da Divisão de Acesso. Mas em entrevista para o jornalista Frederico Feijó, da Rádio Gaúcha Zona Sul, o presidente Gilmar Schneider afirmou que não seguirá como presidente do clube.

“Não é uma dúvida, é uma certeza, eu já dei minha contribuição, poucas pessoas deram tantos anos de contribuição em um clube grande como é o Pelotas, agora chegou a vez de a gente rever isso também. Isso aí vai ficar na história que não subiu em um jogo em casa, que teve um presidente que fez o que pode, mas vida que segue. Eu dei o meu melhor, infelizmente o meu tempo se esgotou, não tenho nem saúde para seguir depois do que o Pelotas vem exigindo. Chega um ponto que não dá mais”.

Desde 2017 como presidente do Áureo-Cerúleo, Gilmar tem mandato até outubro deste ano, porém o mesmo confirmou para o DP que saíra antes do prazo. Nos próximos dias essa transição deve ser feita com o presidente do Conselho, Moacir Elias. Sobre a participação na Copinha, como Gilmar não seguirá como mandatário, ele afirmou que depende de outras áreas do clube para definir se joga ou não.

“Sobre jogar a Copinha tem que levar para o Conselho, tem que ver com a direção, o que a mesa diretiva vai pensar. Eu tenho um mandato que foi prorrogado e vejo que isso foi certo o que a gente fez. Se eu não subisse, eu não teria mais o que fazer no Pelotas. Se eu subisse eu talvez não tivesse mais o que fazer no Pelotas porque eu cai em dois anos. Futebol é assim, eu queria dar o meu melhor. Dentro do que a gente se propôs a fazer no Pelotas, que era uma reestruturação eu fiz. O que acontece é que o futebol não me ajuda, eu sou um azarado para futebol e talvez eu não seja o nome certo para seguir no Pelotas”, disse.

Falando do fim da participação do clube na Divisão de Acesso, Gilmar lamentou a derrota nos pênaltis e elogiou o torcedor pela festa proporcionada.

“Em nome dos que trabalharam temos que pedir desculpas para o torcedor, que fez uma festa diferente, uma mobilização diferente. O ponto positivo do dia foi a nossa torcida, mas infelizmente a gente não conseguiu retribuir e vida que segue. O Passo Fundo também tava bem preparado para esse confronto, infelizmente a bola não entrou, foi para os pênaltis e é o que aconteceu. Não devia ter acontecido. Eu fiz o que pude. Tenho certeza que a direção fez o que pôde, mas não deu”.

Copa FGF

A Copinha deste ano se chamará Troféu Tarciso Flecha Negra, em homenagem ao falecido ex-jogador e vereador de Porto Alegre, José Tarciso de Sousa. A competição deve iniciar no fim do mês de agosto, mas a FGF ainda não definiu uma data.

A última vez que o Lobo participou foi em 2019, quando conquistou o título da Copa Seu Verardi, vencendo o São José na final. O campeão da Copa Tarciso Flecha Negra garante uma vaga na Copa do Brasil de 2023, além do direito de disputar a Recopa Gaúcha de 2023 contra o Grêmio, campeão do Campeonato Gaúcho 2022.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados