Futebol

Marcílio Dias pode desistir da Série D

Em entrevista na noite desta terça, presidente apontou "preocupação" com a situação financeira do clube, o primeiro adversário do Pelotas na competição nacional

14 de Julho de 2020 - 23h00 Corrigir A + A -
Time de Itajaí voltou a campo na última semana, quando empatou sem gols com o Criciúma na partida de ida das quartas de final do Campeonato Catarinense, atualmente suspenso mais uma vez (Foto: Divulgação - CNMD)

Time de Itajaí voltou a campo na última semana, quando empatou sem gols com o Criciúma na partida de ida das quartas de final do Campeonato Catarinense, atualmente suspenso mais uma vez (Foto: Divulgação - CNMD)

O Marcílio Dias, primeiro adversário do Pelotas na Série D, pode não disputar o campeonato. A informação foi dada pelo próprio presidente do clube, Lucas Brunet, em entrevista ao programa Esporte Campeão Debate, na noite desta terça-feira (14).

A equipe de Itajaí voltou à ativa na última semana, quando empatou por 0 a 0 com o Criciúma, no Heriberto Hülse. O jogo foi o de ida das quartas de final do Campeonato Catarinense. Questionado pelo apresentador do programa, Jean Pablo, sobre o início da Série D, Brunet avaliou como positiva a data definida pela CBF para o retorno dos jogos (19 e 20 de setembro), mas isso tendo em vista a questão sanitária. O dirigente revelou preocupação em relação às finanças do clube de Itajaí pelo período sem partidas até setembro. "Mesmo o Campeonato Catarinense voltando, a gente vai ter um período muito grande de paralisação. Financeiramente vai ser complicado investir. O nosso grupo é um grupo pequeno. Um dos pedidos que fizemos à CBF é que os clubes possam desistir sem ter uma punição. Sinceramente eu não sei se a gente teria condições financeiras de aguardar tanto tempo sem patrocínios, sem jogo, sem torcida, sem cota de TV, sem nada, e chegar ao campeonato com uma saúde financeira pra disputar a competição", apontou o presidente do Marcílio.

O estadual de Santa Catarina foi suspenso por pelo menos 14 dias depois da Chapecoense apresentar mais de dez casos de Covid-19 entre jogadores e funcionários. Lucas Brunet vê a retomada rápida da competição como uma luz no fim do túnel para um "respiro" financeiro, mas admite estar preocupado com o período de paralisação que vem a seguir. "Hoje o Marcílio Dias não tem condições nenhuma de disputar a Série D. Voltando o campeonato (Catarinense), entrando a cota de TV, a questão das placas, se a CBF sinalizar com mais uma cota, talvez a gente comece a respirar. Mas daqui pra Série D a gente tem três folhas de pagamento e a gente não tem como pagar. Aí vai virar uma bola de neve."

Brunet afirmou no programa que se a CBF desse hoje um "ultimato" aos 68 clubes aptos para a disputa da competição, a lista de desistências não seria pequena. "Uns 15 ou 20 times desistem hoje, tenho certeza disso. E eu, se tivesse que dar uma resposta hoje, também diria que não. Se não acontecer um fato novo, não tem como. Foge muito do que a gente tem pregado, que é a austeridade financeira, o pé no chão."

De acordo com a tabela divulgada pela CBF, Pelotas e Marcílio Dias se enfrentam na rodada de abertura da Série D do Campeonato Brasileiro, a princípio na Boca do Lobo no dia 19 ou 20 de setembro. Também fazem parte do grupo A8 os catarinenses Tubarão e Joinville, os paulistas São Caetano e Novorizontino, e os gaúchos Caxias e São Luiz de Ijuí.

Situação difícil também em Tubarão

O presidente do Marcílio Dias acredita que mais equipes do grupo possam desistir de jogar a Série D. É o caso do Tubarão, que - para Brunet - também pode ficar de fora do torneio. "Eu acho que sim. Pelo que eu acompanho, sei que eles estão com muitas dificuldades financeiras e de elenco. O grupo que iniciou o Catarinense é um grupo diferente do que vai seguir, eles perderam muitos jogadores pela questão salarial. Na Série D não existe cota de televisão. A gente vive de torcedor, patrocínio, de inventar produtos novos na loja... e com a pandemia isso caiu muito. Não adianta a gente se matar pra disputar um campeonato e acabar inviabilizando o clube nos próximos anos", finalizou.

Confira a entrevista de Lucas Brunet ao E.C. Debate:


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados