Xavante

Mar de incertezas

Após saída de Rogério Zimmermann, Brasil corre o risco de perder outras referências do elenco

27 de Novembro de 2018 - 22h33 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Futuro de Pitol é incerto (Foto: Jonathan Silva - Especial DP)

Futuro de Pitol é incerto (Foto: Jonathan Silva - Especial DP)

A saída de Rogério Zimmermann pode não ser a única no Brasil neste final de 2018. Nomes importantes do elenco já manifestaram o desejo de ficar, mas garantem que ainda não foram procurados pela Diretoria para tratar da renovação. Entre eles estão o goleiro Marcelo Pitol e os volantes Leandro Leite e Itaqui.

Tido como um dos pilares do elenco xavante, o goleiro Marcelo Pitol ainda não definiu onde jogará em 2019. Especulado no Vitória, da Bahia, o camisa 1 diz que a prioridade é permanecer no Bento Freitas, mas, segundo ele, ainda não houve contato com a Diretoria.

"Não tenho nada acertado com ninguém, até porque eu precisaria primeiro conversar com o Brasil, gostaria de ficar. Existem algumas situações que de repente podem acontecer, mas nada certo. Minha vontade é ficar no Brasil, mas eu preciso que o clube também tenha interesse. Vamos ver. Por isso quero esperar para ver alguma coisa", analisou Pitol

No clube desde 2013, o capitão Leandro Leite é outro cujo futuro ainda é uma incógnita. O volante já está de férias, em Goiás, e aguarda contato da Diretoria rubro-negra para decidir onde jogar no ano que vem. "Tenho outras propostas e a direção sabe. Estou esperando falar com eles para decidir algo", resumiu o meio-campista. "Minha vontade sempre foi ficar no Brasil, mas tenho que parar e pensar o que será melhor para mim neste momento", acrescentou.

Em contrapartida, Éder Sciola, que passa férias no Uruguai, volta a Pelotas na segunda-feira para negociar sua permanência no estádio Bento Freitas. O jogador garante que ainda não foi procurado por nenhum outro clube.

De saída?
Na noite desta terça-feira (27), o volante Itaqui revelou que está muito perto de deixar o Brasil. O jogador, que tem uma proposta vantajosa do Paraná, revelou que a proposta rubro-negra está abaixo inclusive daquilo que ele recebeu nesta temporada.

"Conversei com o Carlos Kila na segunda-feira e a conversa não foi muito boa não, a chance de voltar para o Brasil são bem pequenas, para não dizer que eu não vou voltar. Tenho uma proposta muito boa do Paraná Clube, financeira e de trabalho. Não tinha acertado com eles pelo respeito que eu tenho pelo clube, pelo carinho, pelo amor, falo isso de coração. Eu esperava que o clube mantivesse o meu salário, mas tem uma possibilidade de reduzir no Gauchão", lamentou Itaqui, em entrevista à rádio Pelotense.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados