Série B 2021

Mais uma derrota: Brasil perde por 1 a 0 para o CRB e segue afundado na lanterna

Nem o retorno dos xavantes ao Bento Freitas foi capaz de ajudar o time rubro-negro na noite desta terça-feira (21)

21 de Setembro de 2021 - 21h00 Corrigir A + A -
Erison fez um gol anulado pelo VAR no primeiro tempo (Foto: Italo Santos)

Erison fez um gol anulado pelo VAR no primeiro tempo (Foto: Italo Santos)

Só piora a situação do Grêmio Esportivo Brasil na Série B do Campeonato Brasileiro. Nem mesmo o retorno dos xavantes ao estádio Bento Freitas, na noite desta terça-feira (21), foi suficiente para a equipe superar o CRB, pela 25ª rodada da competição nacional. Os alagoanos levaram a melhor por 1 a 0, em partida equilibrada, e afundaram ainda mais o Rubro-Negro na lanterna.

O time da Baixada soma apenas 16 pontos e pode terminar a rodada até 13 atrás do primeiro adversário fora da zona de rebaixamento. Precisa torcer outra vez contra Londrina, Confiança, Vila Nova e Ponte Preta. Sob comando de Cléber Gáucho, até agora nenhuma vitória foi conquistada.

No próximo domingo (26), às 18h15min, o compromisso será em Campinas, diante da Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. Restam 13 jogos para o fim da temporada e o Xavante precisa de um milagre para escapar do rebaixamento à Série C.

Primeira metade cheia de lances perigosos

Os dois times entraram a campo com escalações diferentes das que se imaginava antes. Do lado xavante, os retornos de Ícaro e Vidal eram esperados, assim como a permanência de Marcelo no gol, já que Matheus Nogueira cumpriu suspensão. Mas as titularidades de Gabriel Terra e Caio Rangel, em detrimento de Netto e Kevin, surpreenderam.

Já os alagoanos iniciaram com um lateral-direito jogando na esquerda, Celsinho. E sem Nicolas Careca nem Júnior Brandão, centroavantes. O escolhido por Alan Aal para ocupar a faixa central mais avançada do ataque foi Pablo Dyego, extrema de origem. Uma característica distinta, de maior mobilidade e flutuação, possivelmente buscando confundir o sistema defensivo rubro-negro.

Na prática, o Brasil começou pressionando. Amparado pela força da torcida, que de forma inegável agregou nova atmosfera ao jogo, a equipe de Cléber Gaúcho tentou roubar bolas no campo de ataque durante os primeiros minutos. Enquanto a condição física permitiu, deu certo. Mas naturalmente o CRB conseguiu equilibrar as ações em uma etapa inicial muito movimentada.

A primeira boa chegada foi a um minuto, em chute forte de Wesley defendido por Diogo Silva. Aos 12, Caio Rangel, atuando aberto pela direita, matou no peito e soltou uma bomba, exigindo grande defesa do goleiro adversário. E no lance seguinte, após cruzamento de Paulinho, Leandro Camilo apareceu sozinho na pequena área mas concluiu para fora.

Então os visitantes ganharam volume ofensivo. Levaram perigo a Marcelo em batidas de Pablo Dyego, Jajá e Diego Torres por cima. O ex-jogador do Brasil, Alisson Farias, só não marcou aos 29 minutos porque Ícaro bloqueou a finalização, já sem goleiro. Mas a partida era puro entretenimento, com muitos lances de ataque. Com 33 no relógio, Rildo pegou sobra na meia-lua e emendou um chute de primeira, cheio de efeito. A bola tirou tinta da trave do Galo.

Na sequência, aos 35, os rubro-negros voltaram a comemorar um gol na Baixada. Só que durou pouco a alegria. Gabriel Terra lançou na área e Diogo Silva saiu mal, dividindo com Erison. Ao tentar o soco, o camisa 1 do CRB acertou a bola no atacante. Ela morreu no fundo do gol, entretanto a arbitragem de vídeo detectou que houve toque no braço do atleta xavante. Gol anulado.

Apesar das reclamações que vinham das arquibancadas e do banco de reservas, o jogo seguiu. E por pouco os nordestinos não aproveitaram a situação de instabilidade para sair na frente. Foi aos 42, quando Jajá saiu livre na cara de Marcelo e bateu cruzado, parando em excelente intervenção rasteira do jovem goleiro. Ainda sobrou tempo para uma confusão na área do CRB e pedidos de pênalti a favor do Brasil, porém nada feito. Intervalo sem gols.

Intensidade cai no segundo tempo

Após o retorno dos vestiários, o Xavante apareceu com alteração. Saiu Paulinho e entrou João Siqueira, em mexida que aumentou a média de estatura do time, justamente em um setor pelo qual o CRB atacou bastante na etapa inicial.

Mas a primeira oportunidade só veio aos 17 minutos, e sem tanto perigo assim. Uma cabeçada de Ícaro, após escanteio, por cima da meta de Diogo Silva. A equipe de Maceió respondeu em seguida, com conclusão de Wesley que subiu demais. E então Cléber Gaúcho decidiu promover duas novas trocas: Rone e Bruno Matias nos lugares de Caio Rangel e Wesley.

O grande problema é que, mais uma vez, um erro próprio custou a desvantagem no placar ao Brasil. Aos 25 minutos, Gabriel Terra não conseguiu dar um passe simples para Romulo, e o CRB recuperou. Em poucos toques diante de uma defesa exposta, Jajá acionou Diego Torres para, frente a frente com Marcelo, o argentino inaugurar o marcador: 1 a 0.

A vantagem fez os visitantes se tranquilizarem no jogo. Por diversos momentos trocaram passes apenas para passar o tempo e garantir a vitória. No Rubro-Negro ainda vieram duas caras novas, Poveda e Renatinho. Este último, aliás, tentou chute de fora da área aos 37 e mandou nas mãos de Diogo Silva. Nada mais modificou o resultado. O Brasil segue a passos largos para voltar à Série C.

Ficha técnica

Brasil: Marcelo; Vidal, Ícaro, Leandro Camilo e Paulinho (João Siqueira); Romulo, Wesley (Bruno Matias), Caio Rangel (Rone), Gabriel Terra (Renatinho) e Rildo (Gabriel Poveda); Erison. Técnico: Cléber Gaúcho.

CRB: Diogo Silva; Reginaldo, Éwerton Páscoa, Caetano e Celsinho; Marthã, Wesley, Jajá, Diego Torres (Jean Patrick) e Alisson Farias (Erik); Pablo Dyego. Técnico: Alan Aal.

Gol: Diego Torres, 25’2T.

Cartões amarelos: Ícaro, Romulo, Erison e Gabriel Poveda (B); Éwerton Páscoa (CRB).

Arbitragem: Emerson Andrade.

Local: Bento Freitas.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados