Série D

Lobão vira no fim e vence o líder Novorizontino

Com três gols em cinco minutos, Pelotas faz 4 a 3 e segue no G-4 do Grupo A8

21 de Novembro de 2020 - 17h08 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Marcão fez o gol da vitória. (Foto: Giancarlo Santorum)

Marcão fez o gol da vitória. (Foto: Giancarlo Santorum)

Uma partida para torcedor áureo-cerúleo jamais esquecer. Depois de sair vencendo e tomar três gols dos reservas do Novorizontino, o Pelotas marcou três vezes em cinco minutos para vencer por 4 a 3 na tarde deste sábado (21). A vitória na Boca do Lobo deixa o azul e ouro na vice-liderança do Grupo A8 da Série D do Campeonato Brasileiro com 20 pontos. Na última rodada da primeira fase, o Lobão vai enfrentar o Marcílio Dias, no próximo sábado (28), em Itajaí.

De volta à casamata depois de ficar afastado por suspensão e também pela Covid-19, o técnico Ricardo Colbachini voltou a comandar a equipe da beira do gramado. Dentro do campo ele optou por repetir a equipe que empatou por 0 a 0 com o Caxias. Com o primeiro lugar do grupo já garantido, o Novorizontino optou por atuar com a equipe reserva.

Precisando do resultado, o azul e ouro tentou pressionar desde os primeiros minutos. Aos 5 Marcão finalizou e Giovanni defendeu. Três minutos depois Hugo Sanches recebeu lançamento de Gabiga, passou pelo goleiro e colocou na rede. O lance, porém, já estava parado por impedimento do atacante do Pelotas. Na sequência, aos 10, foi a vez de Ramires parar em Giovanni.

Os visitantes quase abriram o placar 25 minutos. Em rápido contra-ataque, Pereira tabelou com Elvinho e finalizou na trave. O Lobo respondeu no minuto seguinte, mas Giovanni não teve dificuldades para defender a finalização de Ariel. O goleiro Renan precisou trabalhar aos 35, ao espalmar o chute forte de Elvinho, e aos 37, em falta cobrada por Pereira.

O Lobão teve mais um gol anulado aos 41 minutos. Em cobrança de falta ensaiada, Itaqui deixou Hugo Sanches na cara do gol, mas mais uma vez o camisa 7 estava em posição irregular. 

Segundo tempo

A etapa final começou da maneira que o Pelotas queria. Logo aos cinco minutos Moisés arriscou de muito longe e acertou o ângulo para fazer um lindo gol na Boca do Lobo: 1 a 0. O segundo quase saiu logo na sequência, em duas finalizações de Ariel. Na primeira ele poderia ter optado pelo passe para Hugo Sanches, mas preferiu o chute e parou em Giovanni. No lance seguinte, ele pegou a sobra e finalizou rasteiro, a bola passou pelo goleiro, mas o zagueiro salvou.

O castigo pelos gols perdidos não demorou. Pereira cobrou escanteio na primeira trave, Nando desvia e Caíque aproveita a falha de Renan para deixar tudo igual na Boca do Lobo. Mas o jogo era movimentado e por pouco o Lobão não voltou à frente do marcador aos 16 minutos. Giovanni não segurou o chute de Gabiga e a bola sobrou para Hugo Sanches, que pegou muito mal na bola e mandou longe do gol.

Em desvantagem, o Pelotas seguiu pressionando e quase marcou em duas oportunidades. Aos 23 minutos Matheus Goiano, em seu primeiro lance, ficou cara a cara com o goleiro, e desperdiçou. Na cobrança do escanteio, Moisés desviou e por pouco não marcou. E em um raro ataque dos visitantes veio o gol da virada. Reverson ganhou de dois jogadores e bateu cruzado. Renan não conseguiu segurar e Cléo Silva apareceu livre para fazer o 2 a 1 para o Novorizontino.

A virada obrigou o Pelotas a se jogar para o ataque. Para tanto, Ricardo Colbachini colocou Bruninho e Juliano nas vagas de Ramires e Hugo Sanches. Mas quem marcou foi o Novorizontino. Aos 36 minutos Pereira cobrou falta de muito longe, Renan não alcançou e a bola foi no canto: 3 a 1.

Quando tudo parecia acabado, a mágica aconteceu. O que se encaminhava para uma derrota daquelas difíceis de aceitar virou uma virada inesquecível. Aos 40 minutos Marcelo fez boa jogada pela ponta direita e cruzou para trás. Juliano dominou livre e chutou forte para descontar. E foi na base da insistência que o Pelotas chegou ao empate. Em mais uma jogada de Marcelo pela direita, ele cruzou na medida para Bruninho, de cabeça, deixar tudo igual na Avenida: 3 a 3. E ainda teve tempo para a improvável virada. Marcão recebeu na área e bateu cruzado, sem chances para Giovanni.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados