Série B

Lázaro marca no fim e Brasil empata com a Ponte Preta

Xavante sai atrás, mas mostra poder de reação e fica no 1 a 1 no estádio Bento Freitas

11 de Agosto de 2020 - 21h34 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Lázaro marcou o gol do empate. (Foto: Jô Folha - DP)

Lázaro marcou o gol do empate. (Foto: Jô Folha - DP)

O Brasil somou mais um ponto na Série B do Campeonato Brasileiro. Em um jogo de dois tempos bem distintos no Bento Freitas, o Xavante saiu atrás do marcador, mas cresceu muito de produção e arrancou o 1 a 1 com a Ponte Preta. O time rubro-negro volta a campo pela competição nacional no sábado (15), quando enfrenta o Oeste, novamente na Baixada.

Se a partida da noite desta terça-feira (11) teve um nome, esse nome é o zagueiro Lázaro. O camisa 2 tinha tudo para ser o vilão do jogo, quando o árbitro viu toque na mão do defensor e marcou pênalti para os visitantes. Mas quis o destino que o mesmo Lázaro, já no fim da partida, virasse o herói ao marcar o gol do empate xavante.

“O pênalti foi duvidoso. Estou com a mão colada no corpo e a bola resvala no jogador da Ponte. Acho que o juiz estava mal colocado. Fico feliz pelo gol. Somar ponto na Série B é sempre importante, apesar de estarmos nos nossos domínios”, comentou Lázaro.

O jogo
Assim como na rodada de abertura, o técnico Hemerson Maria repetiu o esquema com uma linha de cinco defensores atrás. A diferença foi no meio campo. Com Gustavo Cazonatti e Sousa nas vagas de Leandro Leite e Révson, o treinador esperava um time com mais controle de bola em relação ao primeiro jogo. 

O Brasil não chegou a ter a posse de bola esperada, mas também não sofreu muito na defesa nos 45 minutos iniciais. A Ponte Preta teve uma boa chegada aos 10 minutos, quando Apodi cruzou e Bruno Rodrigues desviou sem perigo. O Xavante respondeu aos 15. Depois de um bate e rebate na área, Dellatorre cabeceou desequilibrado e não conseguiu acertar o gol de Ivan. Fora esses dois lances, as duas equipes só chegaram perto da meta adversária em lances de bola parada, com Gegê no lado rubro-negro, e Camilo e João Paulo pela Macaca.

Segundo tempo
A partida seguia no mesmo ritmo de etapa inicial, quando um lance polêmico mudou a história do confronto. Em lance confuso na área, a bola desvia na mão de Lázaro e o árbitro Mayron Novais marcou a penalidade. Bruno Rodrigues bateu com paradinha e abriu o placar. Na cobrança, vários jogadores das duas equipes invadiram a área, mas a arbitragem validou o gol do time visitante.

Em desvantagem, o Brasil partiu para o ataque. Hemerson Maria logo colocou Rodrigo Ferreira e Gabriel Poveda em campo, e na sequência ainda entraram Jarro e Luiz Henrique. E a partir daí o rubro-negro foi outro time em campo.

O empate quase veio aos 28 minutos, quando Jarro fez grande jogada pela direita e cruzou rasteiro. Gabriel Poveda bateu de primeira e mandou à esquerda do gol. Pouco depois, aos 30, mais uma grande chance. Luiz Henrique deixou dois marcadores na saudade e chutou colocado, mas a bola explodiu no travessão.

A pressão rubro-negra foi ainda mais intensa no final. Aos 37, Gabriel Poveda se livrou da marcação e mandou uma pancada de longe, mas a bola novamente foi na trave de Ivan. Mas aos 38 não teve jeito. Rodrigo Ferreira cobrou falta na segunda trave, Lázaro subiu mais do que todo mundo e, de cabeça, fez o gol do empate.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados