Desligamento

Gustavo Papa não é mais técnico do Brasil

Preparador físico Manoel Lilles e analista de desempenho Rodrigo Heffner também foram desligados

18 de Março de 2020 - 15h52 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Técnico foi demitido da equipe nesta quarta (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

Técnico foi demitido da equipe nesta quarta (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

A direção executiva do Grêmio Esportivo Brasil aproveitou a paralisação do futebol devido à Covid-19 (coronavírus) para trocar a comissão técnica do profissional. Na tarde de ontem, através das redes sociais, o rubro-negro comunicou a demissão do técnico Gustavo Papa, do preparador físico Manoel Lilles e do analista de desempenho e auxiliar técnico Rodrigo Heffner.

Gustavo Papa assumiu o clube no final da temporada de 2019, substituindo Bolívar que treinou o rubro-negro na Série B do ano passado e ajudou na permanência. No comando da equipe xavante, classificou o time, pela primeira vez na história, para a terceira fase da Copa do Brasil e deixa o clube na 8ª posição do Campeonato Gaúcho, três pontos acima do Pelotas, que é o primeiro dentro da zona de rebaixamento. Na temporada, foram 11 jogos, três vitórias, três empates e cinco derrotas. Antes de ser efetivado, Papa havia comandado o rubro-negro de maneira interina. Foram oito jogos e três vitórias, entre 2018 e 2019.

O agora ex-treinador, viveu por oito anos dentro do Bento Freitas. Papa foi contratado para vestir a camisa 9 em 2012. Como atleta, esteve presente nas grandes conquistas da Era Ricardo Fonseca, até se aposentar em 2017 e passar a trabalhar na comissão técnica rubro-negra.

Futuro
O presidente Ricardo Fonseca revelou que a conversa com a comissão técnica foi tranquila, pois eles sabiam que estavam em avaliação para a Série B. "Estávamos em uma situação de avaliação. Chegou o momento de fazer a troca. O momento de ter tempo para começar a Série B", disse o mandatário rubro-negro que confirmou a permanência de Cirilo, como auxiliar permanente, Nathanael, auxiliar da preparação física, Alex Lessa, preparador de goleiros, e Marcos Zambiasi, analista de desempenho, na comissão permanente.

Segundo Fonseca, a ideia é contratar um treinador que conheça bem a Série B do Brasileiro. Porém, o mandatário não coloca prazo. "Não tem data. Nós já estamos correndo atrás e os adversários, como o Juventude, também já estão correndo atrás", disse o presidente.

O novo treinador terá que avaliar seis atletas que terão o contrato encerrado no final de abril. São eles os laterais Ednei e Mateus Mendes; os meias Maicon Assis e João Henrique e os atacantes Eliel Cruz e Juninho.

 

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados