Reconhecimento

Guarda Portuário de Pelotas alcança índice para seleção brasileira de ultramaratonas

Pelotense Eder Botelho trabalha na Portos RS e conseguiu se classificar para representar o Brasil no mundial da modalidade em 2022

18 de Outubro de 2021 - 18h14 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

 O tempo necessário para percorrer os 100 km e integrar a Seleção para participar da prova na Alemanha era de oito horas e Botelho fez o percurso em 07h59 (Foto: Divulgação - DP)

O tempo necessário para percorrer os 100 km e integrar a Seleção para participar da prova na Alemanha era de oito horas e Botelho fez o percurso em 07h59 (Foto: Divulgação - DP)

Além do turno de 12 horas de trabalho como guarda portuário no Porto de Pelotas, o pelotense Eder Botelho ainda dedica duas horas do dia para o que considera a sua paixão: as maratonas. Esse contato com o esporte começou durante a preparação para uma das etapas do teste de aptidão física do concurso realizado em 2010, que previa uma corrida de 2,4 km.

Nesse período de treinos, Botelho resolveu se inscrever para uma prova de cinco quilômetros em Pelotas e a partir daí o gosto pelas maratonas foi se tornando maior até virar uma paixão. “Lembro que nessa prova eu cheguei bem lá atrás, mas com um sorriso incrível de felicidade no rosto. Foi algo bom demais e depois desse dia nunca mais parei”, disse ele.

Com o término das etapas do concurso e a consequente aprovação, os treinos e as corridas de rua passaram a fazer parte de sua rotina de vida e a participação em outros eventos foi se tornando cada vez mais comum. Mesmo participando de provas dos mais variados percursos, as ultramatonas passaram a ser o grande objetivo do servidor.

O termo ultramaratona faz referência as corridas com trajetos maiores do que 42 km, como a Supermaratona Cidade do Rio Grande. Aos 42 anos, Eder conta em seu currículo com participações em ultramaratonas como a Cassino Ultra Race de 2017, quando percorreu 230 km em 31h42, sagrando-se vice-campeão daquela edição.

O servidor público estadual também percorreu os 160 km da edição 2018 da chamada Ultramaratona da Montanha, em Bombinhas, onde conquistou o terceiro lugar. Em Rio Grande, Botelho já participou de duas edições da Supermaratona ficando em sexto lugar na primeira e em quarto lugar na segunda.

“É necessário um esforço muito grande. Não há nenhuma aptidão natural, treino bastante e cuido da alimentação. Me dedico de corpo e alma porque amo o esporte e faço tudo isso com amor”, revelou ele. Tamanho esforço rendeu a Eder a chance de integrar a Seleção Brasileira de Ultramatonas para participar do mundial em 2022, na Alemanha.

A prova que rendeu a ele essa vaga foi a Ultramaratona de Indaiatuba, no último dia 9 de outubro. O tempo necessário para percorrer os 100 km e integrar a Seleção para participar da prova alemã era de oito horas e Botelho fez o percurso em 07h59. Eder ainda não foi convocado, mas conquistou o índice que pode lhe permitir integrar a equipe formada por seis atletas.

“A prova foi super difícil, um percurso com bastante subida e, além disso, havia sol forte e vento em um determinado momento da prova. Concluí com 07h59 obtendo o tão sonhado índice para a Seleção Brasileira, um sonho que vinha lutando há bastante tempo para conquistar”, finalizou ele.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados