Viagem

Grêmio anuncia que vai treinar em Santa Catarina

Direção tricolor não concorda com o posicionamento do governo gaúcho, que não trata o retorno do futebol como prioridade

30 de Junho de 2020 - 13h43 Corrigir A + A -
Tricolor retomou as atividades no início de maio e agora quer progredir pra treinos com contato (Foto: Lucas Uebel - Grêmio)

Tricolor retomou as atividades no início de maio e agora quer progredir pra treinos com contato (Foto: Lucas Uebel - Grêmio)

Chateado com o posicionamento do governo do Estado, que não trata o retorno do futebol como prioridade, o Grêmio anunciou nesta terça-feira (30), em seu site oficial, que vai procurar praças fora do Rio Grande do Sul para concluir a preparação física, iniciada no mês de maio. O destino da delegação tricolor é Criciúma, em Santa Catarina.

Em nota, o clube destacou que há a "necessidade" de concluir os trabalhos, "levando em conta todos os protocolos de saúde adotados para o retorno do elenco às atividades no CT". As recomendações sanitárias serão seguidas à risca para o melhor enfrentamento da pandemia.

A ideia do clube ao se deslocar para o Estado vizinho é poder progredir os treinamentos para atividades de contato, o que não é permitido no Rio Grande do Sul. A preocupação da direção tricolor é estar com a preparação em dia no dia 9 de agosto, uma das datas apontadas como possíveis para o início do Campeonato Brasileiro. A nota oficial do clube não menciona o Gauchão.

O Grêmio termina o texto discordando respeitosamente da posição do governo do Estado a respeito da pauta do futebol, apontando suas prioridades. "Reiteramos o entendimento de que a decisão do Governo do Rio Grande do Sul é legítima, porém, o Grêmio defende uma conduta de enfrentamento reconhecida pela eficiência de procedimentos que tem mantido a integridade física de seus atletas e colaboradores, respeitando todas as determinações das autoridades públicas e de saúde, mas - sobretudo - acreditando que o futebol precisa também sobreviver ao momento, que é difícil a todos os segmentos da sociedade".


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados