Copa Seu Verardi

Fome de gol

Pelotas ataca do início ao fim, faz 4 a 0 no Cruz Alta e enfrenta o São Borja nas quartas de final da Copa Seu Verardi

23 de Outubro de 2019 - 22h19 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Lobo fez 6 a 0 no resultado agregado contra o Cruz Alta (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Lobo fez 6 a 0 no resultado agregado contra o Cruz Alta (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Juliano foi o destaque do Lobo no primeiro tempo (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Juliano foi o destaque do Lobo no primeiro tempo (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Em pouco tempo, Picoli conseguiu deixar o Lobo mais intenso (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Em pouco tempo, Picoli conseguiu deixar o Lobo mais intenso (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O Pelotas fez o que é esperado de um time favorito: venceu com autoridade. O Lobo buscou o ataque durante os 90 minutos e aplicou uma goleada de 4 a 0 diante do frágil Cruz Alta na partida de volta das oitavas de final da Copa Seu Verardi. No agregado, o áureo-cerúleo venceu o confronto por 6 a 0. Nas quartas o Pelotas irá encarar o São Borja, que derrotou o 12 Horas. A primeira partida será neste domingo, às 16h, na Boca do Lobo.

Ataque, ataque e ataque. O Pelotas não se acomodou pela vantagem criada na partida de ida. Até abrir o placar, aos 26 minutos, havia finalizado nove vezes ao gol de Felipe Gama. A bola entrou no décimo chute. Tiago Costa lançou Juliano, o meia invadiu a área e finalizou com categoria para abrir o placar. O segundo gol é um reflexo das ideias de Picoli. O treinador quer um time com mobilidade na frente e que utiliza bastante a bola no pivô. Com movimentação, aproveitando a marcação homem a homem do Cruz Alta, o áureo-cerúleo abriu espaços no meio. Assim, Jô tabelou com Giovane Gomez e saiu na cara do gol para ampliar.

Na volta do intervalo, o técnico do Lobo promoveu a estreia do volante Gabriel no lugar de Mateus Santana, que na terça-feira havia sido poupado do treinamento. O recém-chegado mostrou uma característica um pouco diferente dos titulares Santana e Wallacer. Um jogador de maior dinâmica e força física. Mostrou também ser pé quente. Ou melhor, cabeça quente. Foi dele o terceiro gol após escanteio cobrado por Wallacer, aos 23 minutos. A bola parada surgiu após Pablo ser derrubado na área e a arbitragem marcar pênalti, que Giovane acabou perdendo.

O Lobo não se acomodou e seguiu atacando. Foi recompensado no último minuto com o quarto gol. Busanello fez grande jogada, invadiu a área e bateu firme para fechar o placar.

Longa viagem
O Pelotas irá encarar o São Borja nas quartas de final. A equipe da Fronteira Oeste passou sufoco, mas confirmou o favoritismo e eliminou o 12 Horas ontem à tarde jogando em casa. Após empatar por 3 a 3 na partida de ida em São Leopoldo, o Bugre derrotou o time da capital por 1 a 0. O gol saiu somente aos 41 minutos do segundo tempo. Alex Alcântara, que entrou no intervalo e fez sua estreia na competição, aproveitou o rebote para colocar o São Borja na próxima fase.
O Bugre teve uma das melhores campanhas na primeira fase com 18 pontos. Somando cinco vitórias. No elenco estão atletas conhecidos do interior do Estado como Jajá e Chiquinho, que foram titulares contra o 12 Horas. O maior expoente técnico é Cléverson, porém o atacante ex-dupla Bra-Pel está machucado e é dúvida para o confronto deste final de semana.

Como joga?
O São Borja atua no 4-2-3-1. Contra o 12 Horas, demonstrou ter o mesmo nível técnico dos adversários mais frágeis que o Pelotas encarou até aqui na competição, como o União, o Cruz Alta e o próprio 12 Horas. A diferença é que o time do Oeste gaúcho conta com Jajá e Chiquinho, que podem resolver uma partida em apenas um lance. O centroavante, aliás, é acionado em todos os momentos. A equipe joga a partir da primeira bola para Jajá disputar pelo alto ou em cruzamentos buscando o camisa 9 na área. Chiquinho é o organizador da equipe. Porém, não tem mais a mesma mobilidade de temporadas passadas. Na marcação, o Bugre apresenta falhas constantes. Marca apenas com seis atletas, já que Chiquinho, Jajá e os dois extremas, Laion e Lucas, não recompõem. Quando Alex Alcântara entrou, no lugar de Laion, melhorou a cobertura pelo lado esquerdo.

Ficha técnica
Pelotas; Claus; Malheiros (Vinicius Machado), Negretti, Tiago Costa (Felipe) e Busanello; Vacaria, Santana (Gabriel), Wallacer, Juliano (Garraty) e Jô (Pablo); Giovane Gomez. Técnico: Picoli

Cruz Alta; Felipe Gama; Ronaldo, Renan, Igor e Edu; Lincon, Kauê, Batista, Renan Biondo, Yuri e 
Ricardo. Técnico: Rodrigo Testa
Local: Estádio Boca do Lobo

 

 

 

 

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados