Série B

Empate amargo

Xavante só empata em sua despedida do Bento Freitas na temporada

22 de Novembro de 2019 - 00h06 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Time rubro-negro deixou a vitória escapar. (Foto: Paulo Rossi - DP)

Time rubro-negro deixou a vitória escapar. (Foto: Paulo Rossi - DP)

A noite estava perfeita para os xavantes. Em seu último jogo no Bento Freitas em 2019, o Brasil vencia o Atlético-GO por 2 a 0 até os 46 minutos do segundo tempo e transformava a despedida da torcida em uma grande festa. Mas tudo mudou em dois minutos. O Dragão marcou duas vezes nos acréscimos e arrancou o empate por 2 a 2.

Com o empate na partida desta quinta-feira (21), o rubro-negro chegou aos 44 pontos e voltou para o 13º lugar na Série B do Campeonato Brasileiro. O Atlético-GO, por sua vez, chega a 61, assume o 3º lugar e segue firme na briga pelo acesso à Série A. O Xavante encerra 2019 na próxima terça-feira, quando visita a Ponte Preta, em Campinas, pela última rodada da Segunda Divisão nacional.

O começo de jogo mostrou um Brasil muito interessado na partida. Logo aos três minutos Ari Moura arrancou pela ponta direita e cruzou. Guilherme Queiroz cabeceou fraco e Kozlinski defendeu no meio do gol. No lance seguinte, o Xavante abriu o placar. Eduardo Person arriscou de fora da área e o goleiro do Atlético-GO fez grande defesa. Murilo Rangel, em posição irregular, apareceu livre e, de carrinho, colocou no fundo do gol.

Precisando do resultado para seguir em vantagem na briga pelo acesso, o Dragão partiu para o ataque e empilhou chances de gols. Aos seis minutos, Mike finalizou e Carlos Eduardo espalmou. E aos 11 veio um dos lances mais polêmicos da partida. Pedro Bambu finalizou, a bola bateu no cotovelo de Heverton e, depois de um bate e rebate, Mike fez o gol. Mas o árbitro Bráulio da Silva Machado já havia marcado a penalidade máxima e o lance foi invalidado. Era a chance para Carlos Eduardo brilhar mais uma vez. Nicolas chutou rasteiro, no meio do gol, e o goleiro rubro-negro defendeu com o pé.

O pênalti desperdiçado não abateu os visitantes, que seguiram criando oportunidades. Aos 21, Aylon puxou um contra-ataque pela esquerda e rolou para o meio - Pedro Raul deu um leve toque por cima de Carlos Eduardo, mas a bola passou rente à trave. Já aos 31 minutos, Pedro Raul deixou Jorginho na cara do gol, ele bateu rasteiro e Carlos Eduardo pegou mais uma.

Segundo tempo
Mesmo sem precisar do resultado, o Brasil voltou melhor para o segundo tempo. Aos 19 minutos, Guilherme Queiroz tabelou com Murilo Rangel e serviu Ari Moura. O camisa 7 bateu colocado, mas mandou para fora. Mas aos 27 o Xavante ampliou a vantagem. Ednei avançou pela direita e cruzou por baixo, Juba se antecipou ao goleiro Kozlinski e mandou para o gol.

Com o 2 a 0, o Atlético-GO se jogou para o ataque, e foi vendo o goleiro Carlos Eduardo fazer uma grande defesa atrás da outra. Aos 35, ele mandou para escanteio um chute rasteiro de Pedro Raul. Após a cobrança, a bola desviou em Eduardo Person e o camisa 1 pegou no reflexo. O jogo era lá e cá. No minuto seguinte, Ari Moura puxou contra-ataque pela direita e rolou para Guilherme Queiroz. Ele bateu firme e Kozlinski fez uma grande defesa.

Como a partida estava praticamente ganha, poucos lamentaram o lance. Mas o que aconteceu nos acréscimos mostrou que o gol perdido fez muita falta. Aos 46 minutos, Mike levantou a bola na área, Pedro Raul apareceu completamente livre na segunda trave e, de cabeça, descontou para os visitantes. E o que parecia impossível aconteceu no minuto seguinte. Após cruzamento da direita, Moraes também surgiu sozinho na pequena área para deixar tudo igual no Bento Freitas.

O que já era muito ruim, por pouco não foi catastrófico. O cronômetro já passava dos 50 minutos quando Pedro Raul subiu mais alto do que a defesa xavante e testou para o gol. Para sorte do Brasil, o travessão estava lá para evitar a virada do Atlético-GO no último jogo xavante no Bento Freitas em 2019.

Copa São Paulo
No início da noite, o presidente Ricardo Fonseca confirmou uma ótima notícia para as categorias de base do clube. Em janeiro de 2020, o Brasil vai disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior, a mais tradicional competição de base do futebol brasileiro.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados