Covid-19

Em estado grave, médico xavante foi transferido para Porto Alegre

Hospitalizado desde sábado no HE-UFPel, José Raymundo, de 70 anos, acabou deslocado na noite deste domingo para o Moinhos de Vento

29 de Março de 2020 - 18h28 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Zé Raymundo (E) faz parte do Departamento Médico do Brasil (AI Brasil)

Zé Raymundo (E) faz parte do Departamento Médico do Brasil (AI Brasil)

O ortopedista e professor José Raymundo, pertencente ao departamento médico do Grêmio Esportivo Brasil, está internado no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. O médico está hospitalizado desde a madrugada de sábado (28) no Hospital-Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel), devido ao quadro de Covid-19. O profissional, de 70 anos, teve uma piora no quadro, neste domingo (29), e está em estado grave. Seguindo o protocolo, foi entubado precocemente. Ainda neste domingo acabou transferido para a capital do Estado.

No sábado, o Brasil havia divulgado uma nota para informar a internação do médico do clube. "O G.E. Brasil informa que o Dr. José Raymundo, membro do departamento médico do clube, foi diagnosticado com Covid-19. O médico foi hospitalizado no HE da UFPel de maneira preventiva para melhorar o quadro respiratório. O profissional encontra-se estável. O clube estima melhoras ao médico", dizia a nota.

Porém, neste domingo o estado de saúde de Raymundo acabou se agravando. Seguindo o protocolo do Ministério da Saúde, para o tratamento da Covid-19, deve ser instituída a ventilação mecânica precocemente em pacientes com insuficiência respiratória hipoxêmica persistente (apesar da oxigenoterapia). Ou seja, mesmo recebendo O2 por um cateter nasal, Raymundo ainda apresentava dificuldades de oxigenação. Então, precisou passar pelo processo de enntubação para melhorar os níveis de oxigênio do corpo. Na noite deste domingo, o médico foi deslocado, através do avião da Unimed, ao Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.

O médico esteve, no último dia 8, na cidade de Bagé, onde realizou dois procedimentos cirúrgicos e acabou entrando em contato com outro profissional que, mais tarde, testou positivo para o novo coronavírus. Após ser informado sobre a condição do colega, José Raymundo adotou o isolamento domiciliar. Com a piora dos sintomas respiratórios, o médico decidiu, então, procurar o HE para o tratamento da doença.

Caminho certo
O Xavante tomou a iniciativa de paralisar todas as atividades desde o dia 16. Na data, o vice-presidente, médico Guto Lahm, esclareceu a importância do isolamento social no combate à Covid-19. A decisão, antes mesmo do médico José Raymundo ser diagnosticado, mostrou-se correta e acabou evitando uma possível contaminação no clube. Na semana passada, emergiu a informação que o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, testou positivo para o novo coronavírus. O mandatário xavante, Ricardo Fonseca, e o vice de futebol, Giovane Alcântara, tiveram contato com Bolzan na terça-feira. Ambos, que estão em isolamento domiciliar, não apresentam nenhum sintoma e encerram hoje os 14 dias de isolamento.

"Tudo isso reforça a certeza que tomamos as medidas corretas e com a brevidade necessária, quando da decisão de liberar atletas e funcionários do clube, evitando assim uma propagação que tem progressão geométrica. Imagina se essas medidas não fossem tomadas naquele momento, o foco de propagação através de mais de cem pessoas. O clube tem uma grande responsabilidade social, tem que dar exemplo, e desde o momento que tomamos essa decisão colocamos à disposição das autoridades as dependências do clube, para utilizarem da maneira que desejassem", afirmou o vice-presidente, médico Guto Lahm.

O vice-presidente xavante também faz um apelo em defesa da saúde no país. Vê esse momento como chave para uma reflexão. "Seguimos muito preocupados com a situação, sabemos da condição dos hospitais e do SUS, todas as dificuldades que passam a saúde pública e privada do país, não é nada fácil. Fico pensando que foi preciso uma pandemia para voltar a atenção para a saúde; infelizmente foi nessa hora que se percebeu a necessidade de melhoria de condições para profissionais que colocam em risco suas próprias vidas e isso não é agora, isso são todos os dias, e não somente médicos; são porteiros, escriturários, secretárias, técnicos, fisioterapeutas, pessoal de limpeza, enfermeiros, motoristas, socorristas e inúmeros anônimos e pessoas que muitas vezes não são valorizadas - todos estes fazem um trabalho fundamental no dia a dia e agora estão em evidência", disse Guto que ainda completou: "Esperamos que a saúde seja mais valorizada, seja pelos gestores públicos, seja pela população, com uma visão mais humana e menos econômica. Quem sabe esse momento, em que todos estamos juntos a nossa família, sirva para sermos mais cooperativos, mais unidos. Que seja uma experiência positiva no sentido de aumentar a importância dada para a saúde e para a educação, pilares fundamentais para termos uma sociedade harmônica para enfrentar crises como essa que estamos vivendo".

Este é o segundo caso confirmado de Covid-19 em Pelotas. Os nomes dos pacientes não são divulgados para preservação dos mesmos, mas por se tratar de uma figura conhecida no cenário esportivo e médico, sua condição foi divulgada também para alertar e conscientizar a população sobre a doença que avança sobre o Estado gaúcho.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados