Gauchão 2020

Edu Pesce deixa o Brasil

Giovani Alcântara, vice de futebol do clube, fez o anúncio em coletiva de imprensa; Pesce usou a expressão "fim de um ciclo"

14 de Fevereiro de 2020 - 11h56 Corrigir A + A -
Direção anunciou o desligamento de Pesce. (Foto: Reprodução)

Direção anunciou o desligamento de Pesce. (Foto: Reprodução)

O Brasil anunciou no final da manhã desta sexta-feira (14) o desligamento do gerente executivo Edu Pesce, que deixa o clube após três anos de trabalho no clube. Os rumores sobre a saída do profissional aumentaram na última semana, após uma série de questões que envolveram até mesmo ameaças de morte à ele e ao presidente Ricardo Fonseca que, por sua vez, tomará uma decisão acerca de sua permanência na próxima semana. 

Pesce esteve na sala de imprensa rubro-negra acompanhado do vice presidente de futebol, Giovani Alcântara. O dirigente deu a notícia com um tom de contrariedade. "O Edu não vai mais fazer parte da nossa equipe e eu tô aqui com pesar realmente sentindo que o Brasil perde um grande profissional, no sentido que colaborou muito com o Xavante. Ele tocou projetos importantíssimos, que projetaram e seguirão projetando no cenário local e nacional. Um cara extremamente profissional, com grande conhecimento futebolístico e com larga atividade durante vários anos e vários clubes do país", lamentou. 

O vice de futebol terminou seu pronunciamento agradecendo os serviços prestados pelo profissional à instituição. "Antes de passar a palavra para ele, eu gostaria de agradecer em nome do clube. Em nome de grandes setores da torcida e até do Conselho, realmente temos muito a agradecer pelo trabalho desenvolvido até aqui. É de coração. Espero que em um outro momento possas retornar ao Brasil. Um ciclo se encerra, mas logo ali podemos contar com os teus serviços", completou. 

O agora ex-gerente executivo do clube, em suas primeiras palavras, também agradeceu a confiança da direção em sua passagem que completaria três anos em abril. "Agradeço muito as tuas palavras Giovani, e imensamente à toda direção do Brasil por ter confiado em mim durante esse período. Tenho muita honra de ter participado desse momento do clube, mas a vida tem seus ciclos e suas questões. Precisamos entender isso, olhar para frente e ver que a vida tem que seguir e é isso que eu vou fazer nesse momento", comentou. 

Acúmulo de funções

Especialmente no último ano, foram levantadas uma série de questões relacionadas ao papel de Edu Pesce dentro de um processo administrativo do clube. Em abril de 2017, ele foi anunciado pelo ex-gerente executivo Armando Dessessards e pelo atual presidente Ricardo Fonseca para o cargo de Consultor de Quadro Social, em entrevista coletiva. Após a saída de Dessessards, Edu acabou acumulando outras funções que não apenas a de consultor - onde prestava serviço através da empresa terceirizada Espaço Vip - e inclusive, passou a participar  do departamento de futebol. 

Em diversas entrevistas ao longo dos últimos meses, o próprio Edu Pesce comentou sobre a necessidade da contratação de um gerente de futebol, cargo que, deixou claro, não queria ocupar e não se sentia com intimidade para executar. 

"Tem situações que se criaram nesses últimos momentos que é importante eu ressaltar. Nessa reta final surgiu questões sobre meu trabalho e elas não faziam parte do meu dia a dia. Pelas necessidades, pelas dificuldades do clube, eu não sou um cara de ficar sentado olhando as coisas acontecerem. Eu sou um cara que sempre dividi tudo com a direção, mas por bem ou por mal, estou sempre em busca de fazer o que é bom e melhor para o clube", explicou. 

Falta de clima

A pressão da torcida em relação aos nomes de Ricardo Fonseca - que segue com futuro indefinido na presidência - e Edu Pesce, também contribuiu para o fim do ciclo. Em outras palavras, o ex-gerente executivo atribuiu as fortes cobranças sobre seu trabalho ao momento da equipe e um mal entendido.

"Acabamos entendendo que esse era o momento da gente parar. Acabou pesando algumas questões importantes que o futebol não estava muito bem. Por muitas vezes, eu já havia dito, nunca gostei de ver as coisas acontecerem, sempre procurei atender e servir e talvez isso tenha sido mal interpretado", finalizou. 

Novo gerente

Questionado sobre a contratação de um novo gerente executivo, o vice de futebol, Giovane Alcântara, disse que esta definição passará por reuniões a partir da próxima segunda-feira. Nas entrelinhas, deixou subentendido que decisões só serão tomadas após o posicionamento do presidente Ricardo Fonseca sobre sua permanência - ou não - no cargo. 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados