Gauchão 2020

Derrota no último lance

Com gol aos 49 minutos do segundo tempo, Xavante leva 1 a 0 do Aimoré em São Leopoldo

23 de Janeiro de 2020 - 18h00 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Com a pré-temporada curta, Brasil não conseguiu vencer o Aimoré (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

Com a pré-temporada curta, Brasil não conseguiu vencer o Aimoré (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

Atualizada às 18h41min

Aimoré e Brasil protagonizaram um duelo equilibrado nesta quinta-feira (23) pela primeira rodada do Campeonato Gaúcho. O jogo, disputado no estádio Cristo Rei, em São Leopoldo, caminhava para o empate sem gols quando, aos 49 minutos do segundo tempo, o centroavante Matheus Rodrigues surgiu na grande área para dar a vitória por 1 a 0 ao Índio Capilé.

Com a derrota fora de casa, o Xavante precisa buscar a recuperação no Gauchão já próxima rodada. E a equipe do técnico Gustavo Papa terá um dos desafios mais complicados da Taça Coronel Ewaldo Poeta, o primeiro turno do estadual. No domingo (26), o adversário será o Grêmio, no estádio Bento Freitas. O Tricolor de Porto Alegre, que também perdeu na estreia, ainda não confirmou se terá força máxima na Baixada.

O Brasil entrou em campo sem surpresas. Bruno Santos, na lateral esquerda, e Eliel Cruz, no comando do ataque, foram as novidades em relação ao time que disputou o jogo-treino com o São José. A intensidade prometida pelo técnico Gustavo Papa pouco apareceu nos primeiros 45 minutos. O Xavante preferiu esperar o Aimoré para sair no contra-ataque, quase sempre com Nathan Cachorrão. Em pelo menos quatro oportunidades o camisa 7 surgiu com alguma liberdade pela ponta direita, mas faltou capricho na hora do último passe.

O único goleiro a praticar defesas na primeira etapa foi o rubro-negro Rafael Martins. Aos 19 minutos ele encaixou o chute fraco de Alan Calbergue, que buscava o canto direito. E depois aos 38, quando Germano avançou com muita liberdade pelo meio e chutou forte. Bem colocado, o camisa 1 voou para fazer uma grande defesa.

Outro jogo
Depois de um primeiro tempo sonolento, os dois times voltaram ligados para a etapa complementar. Logo aos 6 minutos Gabriel Poveda recebeu na esquerda e chutou forte, a bola desviou no meio do caminho e quase entrou. A resposta do Índio Capilé veio aos 10, quando Wagner bateu com precisão e Rafael Martins fez uma grande defesa.

A melhor chance rubro-negra surgiu aos 19 minutos. João Henrique cruzou da esquerda, Gabriel Poveda apareceu livre na segunda trave e chutou de primeira, em cima de Márcio Goiano. Os jogadores do Brasil pediram toque de mão do lateral adversário, mas a arbitragem mandou o jogo seguir. Como o jogo era lá e cá, aos 26 foi a vez do Aimoré levar perigo. Germano recebeu de Isaías na área e chutou rasteiro, Rafael Martins defendeu em dois lances e evitou o gol do time mandante.

Seguindo a sequência de uma chance para cada lado, o Brasil chegou a mandar a bola para o fundo do gol. Aos 34 Ednei cobrou falta para a área e Luís Felipe desviou de canhota para vencer o goleiro Luís Cetin. Sorte do Aimoré que o auxiliar pegou o impedimento do zagueiro xavante e anulou o gol. A resposta veio no minuto seguinte, quando Isaías invadiu a área e carimbou a trave.

O empate parecia certo quando, aos 49 minutos, veio o castigo. Wagner pegou a sobra na entrada da área, deu um lindo corte em Leandro Leite e a bola ficou com Matheus Rodrigues. O camisa 9 pegou de primeira, com curva, sem chances para Rafael Martins: 1 a 0 para o Aimoré. O Brasil ainda tentou buscar o empate, mas não tinha mais tempo. O Índio Capilé se fechou bem e saiu de campo com os três pontos.

Sabor amargo
Em sua coletiva após a partida, Gustavo Papa fez uma avaliação positiva da atuação do time. O comandante viu problemas na transição da defesa para o ataque e lamentou ter sofrido o gol quando já não tinha mais tempo para reagir.

"Tomar o gol perto dos 50 minutos do segundo tempo deixa um gosto bem ruim. Tivemos um pouco mais de dificuldade no primeiro tempo, mas conseguimos suportar relativamente bem o jogo, foi uma partida controlada, infelizmente não conseguimos sair com a vitória. (...) No momento que tu roubas a bola, tem que ter opção para dar o passe. Tivemos dificuldades na transição e mesmo assim conseguimos criar algumas oportunidades, infelizmente não conseguimos transformar essas oportunidades em gol", analisou.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados