Série B

Cruz-credo!

Com atuação muito ruim, Xavante é dominado pelo CRB e é derrotado em Maceió

10 de Setembro de 2019 - 20h34 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Com uma marcação muito frágil, Brasil viu o CRB não ter dificuldades para vencer (Foto: Gustavo Henrique CRB)

Com uma marcação muito frágil, Brasil viu o CRB não ter dificuldades para vencer (Foto: Gustavo Henrique CRB)

A noite desta terça-feira (10) no Rei Pelé é para os torcedores xavantes esquecerem. Mas não para o técnico Bolívar e os jogadores do Brasil. Foi uma nova atuação ruim nesta temporada, na qual o rubro-negro teve tantas, mas em um momento em que o time pelotense apresentava evoluções. O resultado foi um Xavante envolvido pelo CRB e derrotado por 3 a 1 na abertura da 22ª rodada da Série B. Os erros defensivos devido à falta de concentração e com uma atuação muito ruim de Daniel Cruz, escolhido para substituir Cristian que ficou em Pelotas pois está lesionado, marcaram a décima derrota no campeonato e estacionaram o Brasil nos 28 pontos até enfrentar o Figueirense, na quinta-feira (19), no Bento Freitas.

"Atuação atípica, até em entrega. Sentimos muito no primeiro tempo. Os gols, tudo, falta de atenção e concentração. Eu cobrei isso deles. Tínhamos que ter uma concentração, pois era uma equipe pressionada, que vinha mal em casa. Infelizmente levamos um gol cedo, uma falta de concentração. Derrotas têm que ficar marcadas, para revertermos", afirmou Bolívar.

O jogo
Sem Cristian, com lesões nos dois tornozelos, Bolívar mandou a campo Daniel Cruz como titular na ponta-esquerda. A ideia era dar uma maior força na marcação pelo lado, mas isso não ocorreu - marcação, aliás, foi um quesito inexistente no primeiro tempo xavante. O CRB poderia ter aberto o placar aos 12 minutos. Alisson Farias, que envolveu o meio-campo xavante com facilidade durante os 45 inicias, cortou para dentro e bateu cruzado. Carlos Eduardo fez grande defesa. Com 14 minutos a bola sobrou para Felipe Ferreira na área que isolou. Demorou quatro minutos para que a dupla se encontrasse em campo. Foi no cruzamento de Alisson, da direita, que Ferreira apareceu nas costas de Daniel Cruz e abriu o placar.

O massacre do time alagoano seguiu. Carlos Eduardo ainda evitou que o time da casa ampliasse aos 33 minutos, em chute de Léo Ceará, mas aos 35 Lucas Siqueira subiu livre, em falha de Camilo e Aguiar, os quais observavam apenas a bola, e assim foi Lucas que fez o segundo dos donos da casa. O CRB terminou o primeiro tempo com 14 finalizações, sendo 11 delas dentro da área.

Água fria
Bolívar sacou Daniel Cruz no intervalo. Colocou Maicon Assis. Com o recuo natural do CRB pela vantagem no placar, o Xavante passou a ter a bola e ficar mais no campo ofensivo. Mesmo assim demorou para finalizar. Demonstrava lentidão na troca de passes e pouca movimentação. Murilo Rangel e Diogo não funcionavam. Rodrigo Alves não conseguia encontrar espaço. Person e Leite eram os que ficavam com a bola. Muitas vezes era o capitão que precisava avançar. Quando finalmente conseguiu, após a entrada de Luz no meio de campo no lugar de Rangel, aos 21 minutos com Ednei batendo cruzado e o goleiro Vinícius fazendo boa defesa e colocando para escanteio, o Xavante chegou ao gol. Na cobrança da bola parada, Maicon Assis ficou com o rebote na entrada da área e bateu cruzado de perna esquerda sem chance para o goleiro do CRB.

A esperança, contudo, foi rápida. Aos 25 minutos, Alisson Farias fez valer a "lei do ex" e deu um banho de água fria no Xavante. Bruno Aguiar, o qual levou o terceiro amarelo e está fora da partida contra o Figueirense, e Ednei se atrapalharam: a bola sobrou para o atacante, que bateu colocado no ângulo. O restante foi o Xavante sem forças para conseguir marcar ponto. Deu tempo para Lucas Abreu acabar expulso por acertar Person no rosto e Ednei, quando o Brasil já havia feito as três trocas, sentir uma lesão na coxa, deixando a partida com dez para cada lado.

 

Ficha técnica

CRB: Vinicius; Daniel Borges, Victor Ramos, Wellington e Igor (Bryan); Claudinei, Lucas Abreu, Lucas Siqueira, Felipe Oliveira (Willie) e Alisson Farias; Léo Ceará (Cariús). Técnico: Marcelo Chamusca

Brasil; Carlos Eduardo; Ednei, Bruno Aguiar, Camilo e Formiga; Leite, Person, Diogo Oliveira (Pereira), Murilo Rangel (Ricardo Luz), Daniel Cruz (Maicon Assis) e Rodrigo Alves. Técnico: Bolívar

Árbitro: Elmo Cunha

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados