Série B

Contagem regressiva

Vitória sobre o Criciúma deixa o Brasil mais perto da permanência na segunda divisão

11 de Outubro de 2018 - 11h02 Corrigir A + A -

Por: Henrique Risse
esporte@diariopopular.com.br 

Leandro Leite garante que o grupo só pensa no próximo jogo (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

Leandro Leite garante que o grupo só pensa no próximo jogo (Foto: Carlos Insaurriaga/GEB)

O objetivo está mais perto. A vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma deixou o Brasil com 37 pontos na classificação da Série B. Mais importante do que isso, o clube abriu agora cinco pontos para os principais rivais na luta contra o rebaixamento - Juventude (18º com um jogo a menos), Paysandu e CRB, todos com 32 pontos.

Desde 2006, quando a Segunda Divisão nacional passou a ser disputada no sistema de pontos corridos com 20 clubes, em apenas quatro oportunidades um clube foi rebaixado fazendo 45 ou mais pontos. Em 2007 o Paulista caiu com esta pontuação e o mesmo se repetiu com o Marília, no ano seguinte. Já em 2010, o Brasiliense caiu com 46 pontos e em 2011, no ano mais atípico, o ASA de Arapiraca caiu para a Série C mesmo somando 48 pontos.

Nos últimos anos, porém, o número mágico dos 45 pontos serviu de parâmetro para a permanência. Em 2014, o Bragantino escapou com 46 pontos, mas o 17º colocado, o América-RN, caiu com 43. Tanto em 2015, com o Oeste, e em 2017, com o Guarani, a pontuação para escapar foi de 44 pontos. O ponto fora da curva foi a Série B de 2016, quando Paraná e Oeste escaparam com 41 pontos.

O elenco rubro-negro prefere deixar a matemática de lado e foca no jogo a jogo para seguir se distanciando da zona do rebaixamento. "A nossa conta é jogo a jogo. Difícil você falar em 45 pontos, é uma carga grande, sendo que temos 37 pontos. Nosso objetivo é trabalhar para que na próxima partida possamos atingir o objetivo de buscar uma vitória e nos afastarmos ainda mais da zona do rebaixamento. Vamos jogo a jogo para conseguir o nosso objetivo, esse é o pensamento do grupo", analisou o capitão Leandro Leite.

Pontuar em casa
Desde o retorno do técnico Rogério Zimmermann, o Xavante vem se notabilizando por um excelente desempenho fora de casa. Nos quatro jogos disputados longe do Bento Freitas, o time rubro-negro venceu três e só perdeu um. Em casa, porém, o retrospecto não é bom. Foram três partidas disputadas até agora, com duas derrotas e apenas uma vitória.

Para o capitão xavante, os resultados não estão traduzindo em vitórias o futebol apresentado pela equipe dentro de casa. "Tirando aquele jogo contra o Oeste, onde ocorreram todos aqueles acontecimentos que abalaram o pessoal dentro de campo, o jogo contra o Fortaleza foi uma das melhores partidas da nossa equipe. Infelizmente, não conseguimos traduzir o bom jogo em gol e o jogador deles foi muito feliz na finalização. Mas no próximo jogo temos mais uma oportunidade diante do nosso torcedor para buscar um resultado positivo", finalizou Leandro Leite.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados