Comentário

Coluna do Marsiglia

Quando me posicionei contra a Olimpíada no Brasil não o é por causa do evento em si, mas por algumas das pessoas que irão comandá-la. Querem um exemplo? Ricardo Leyser Gonçalves

09 de Outubro de 2009 - 07h06 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

A apatia gremista
O Grêmio perde tantos jogos fora de casa que quando empata todos acham um bom resultado. Mas contra o Atlético-PR foram dois pontos perdidos em função da ruindade do time paranaense na partida. Sábado é contra um Corinthians já classificado para a Libertadores e que atualmente anda em campo esperando o campeonato terminar. Está na hora do Grêmio deixar a apatia de lado e ter uma postura mais ousada. Empate ou derrota a estas alturas escreverão um mesmo roteiro: a história de um fracasso no Brasileirão.

Inter: resultado enganoso

O importante era vencer para quebrar a série de resultados negativos. Mas o Inter voltou a não jogar bem, contra um Náutico que está na zona do rebaixamento e atuou com sete reservas. Mário Sérgio deve ter ficado assustado com o que viu. Resta saber se o Atlético-PR que vem ao Beira-Rio é o que empatou com o Grêmio ou o que fez ótimas partidas contra Palmeiras e Corinthians. Se for o primeiro, não mete medo, mas se for o segundo, o Inter terá que jogar muito mais.

Porque fui contra
Quando me posicionei contra a Olimpíada no Brasil não o é por causa do evento em si, mas por algumas das pessoas que irão comandá-la. Querem um exemplo? Ricardo Leyser Gonçalves é secretário-geral do Ministério do Esporte e chefe do comitê do Governo Federal para a candidatura do Rio de Janeiro. Pois saibam todos que ele foi condenado pelo Tribunal de Contas da União a devolver míseros R$ 18,4 milhões aos cofres públicos por irregularidades que teriam sido cometidas no Pan 2007. Ainda cabe recurso, mas…

Vanderlei Luxemburgo

É um ótimo treinador, mas não gostei da atitude que tomou ao colocar em seu blog que havia declinado do convite recebido pelo Inter. É assunto que diz respeito somente ao clube e ao profissional. Parece ânsia de se promover ou ele imagina ser “a última bolacha do pacote”. Deixou mal o treinador que saiu e o que entrou. Em tempo: Luxemburgo é o técnico ideal para atuar dentro da filosofia do compra e vende instalada no Beira-Rio. Fácil de entender.

Escândalos de doping

Nunca na história do esporte olímpico brasileiro tivemos tantos casos de doping como neste ano da graça de 2009. O último agora é o da triatleta Mariana Ohata, suspensa por seis anos. O pessoal anda tomando e injetando de tudo sem nenhuma responsabilidade. Querem o sucesso a qualquer custo. Ledo engano. É o itinerário mais rápido para o ostracismo e o fracasso. Falta de orientação ou ignorância? Talvez as duas. Para quem vai sediar uma Olimpíada, um péssimo exemplo.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados