Gauchão 2020

Camisa 9 raiz

Com 33 anos e passagens por grandes clubes do futebol brasileiro, Tadeu chega para brigar por uma vaga na referência do ataque áureo-cerúleo

13 de Janeiro de 2020 - 12h38 Corrigir A + A -
Jogador passou por grandes clubes do futebol brasileiro (Foto: Tales Leal/ECP)

Jogador passou por grandes clubes do futebol brasileiro (Foto: Tales Leal/ECP)

O centroavante Tadeu, de 33 anos, foi apresentado nesta segunda-feira (13) na Boca do Lobo como novo reforço do Pelotas para a disputa do Campeonato Gaúcho. Experiente, o jogador passou por diversas equipes do futebol brasileiro, entre elas Grêmio, Palmeiras e São Paulo. Atualmente, o atleta estava na Caldense, em Minas Gerais.

"Feliz em retornar ao Sul. O Pelotas é uma equipe que vem em ascensão, passou por momentos difíceis mas retomou o caminho do sucesso. Já conheço alguns jogadores com quem trabalhei no Juventude e no América de Natal. O Picoli que conhece muito o Campeonato Gaúcho, é um cara experiente e por isso mesmo está aqui. Estou muito motivado e muito feliz", comentou o jogador.

Tadeu chega para se tornar uma opção ao técnico Picoli em um setor que tem gerado preocupação. Com as restrições físicas ainda enfrentadas por Hugo Almeida, o treinador vem testando Jean Roberto improvisado na função. Questionado sobre suas condições de jogo, o novo reforço disse que está pronto para ser utilizado.

"Chego muito bem. Estava na Caldense, onde fiz a pré-temporada desde o dia 15 de novembro. A gente vem se preparando, joguei quatro partidas lá. Agora é só o entrosamento mesmo, saber a ideia que o Picoli quer me utilizar e estar pronto para o jogo", adiantou Tadeu.

Com as dúvidas geradas após os primeiros testes, Tadeu se torna uma opção de segurança para Picoli. Suas características se assemelham mais às de Giovane Gomez, o que facilita a mecânica já incorporada pela base da equipe mantida desde o título da Copa Seu Verardi no ano passado. Tadeu realizou seu primeiro treinamento com o grupo nesta segunda-feira pela manhã.

"Hoje o futebol tá muito dinâmico. Você não consegue mais fazer uma função só parado como era antigamente. Tem que se movimentar, procurar o espaço. A parte física aumentou muito essa disputa. Sobre posicionamento não conversamos muito, cheguei ontem (domingo) à noite e tudo foi muito corrido. Mas já entendo o jogo do Picoli, tem jogadores rápidos como o Jô. O Pelotas vem de uma ascensão, vem de um título então a gente vem para agregar", projetou.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados