Gauchão 2019

Boa impressão

Vitória por 2 a 1 sobre o Avenida mostra evolução da equipe de Diego Gavilán

12 de Janeiro de 2019 - 20h11 Corrigir A + A -
Jogadores comemoram gol de Wallace, o primeiro do amistoso (Foto: Jô Folha - DP)

Jogadores comemoram gol de Wallace, o primeiro do amistoso (Foto: Jô Folha - DP)

Atualizado às 19:45 do dia 13 de janeiro de 2019

Em sua primeira apresentação frente ao torcedor na temporada, o Pelotas venceu o Avenida por 2 a 1 no último compromisso antes da estreia no Campeonato Gaúcho. O amistoso na Boca do Lobo foi marcado por polêmicas, invasão de campo e também pela esperada evolução do time de Diego Gavilán. Apesar da chuva e do pouco público, os áureo-cerúleos presentes deixaram o estádio felizes com o resultado e com uma boa impressão do Lobo, às vésperas do tão aguardado retorno à elite do futebol gaúcho.

A ideia de jogo de Gavilán ficou bastante evidente logo nos primeiros minutos de partida. O Pelotas abusou da troca de passes no campo defensivo, com participação ativa do goleiro Airton, dos laterais Giménez e Wallace e dos zagueiros Dão e Felipe. Tentando encontrar espaços no compacto Avenida, Germano foi o principal escape da equipe no meio-campo, ao lado de Reinaldo Dutra. Os dois jogaram à frente de Makelele, estreante com a camisa do Lobo.

Para dar ritmo ao paraguaio Giménez, Gavilán escalou John Lennon como extrema pela direita, função que o jogador já havia exercido no ano passado com Paulo Porto. Jarro também foi utilizado, pela esquerda, formatando o 4-1-4-1 adotado na partida. No ataque, Giovane foi o camisa 9. Apesar de controlar a partida, o time áureo-cerúleo teve dificuldade em construir jogadas ofensivas.

O Lobo conseguiu abrir o placar em lance de bola parada, aos 36 minutos. Na cobrança ensaiada de escanteio pela direita, Germano rolou para Jarro. Ele cruzou rasteiro para dentro da área e, após uma primeira tentativa do zagueiro Dão, a bola sobrou para o lateral Wallace chutar firme e inaugurar o marcador na Boca do Lobo. 1 a 0.

O Pelotas chegou a marcar o segundo gol aos 41 minutos, em cobrança de falta de Germano. O lance, em dois toques, causou polêmica porque a arbitragem entendeu que a infração foi cobrada de forma direta. Os jogadores reclamaram de um desvio da barreira, o que validaria o gol. Outra discussão ocorreu por conta de um pênalti não marcado em Jarro.

Incomodado com a arbitragem, um torcedor - identificado pelo clube - abriu o portão de acesso ao gramado e agrediu o bandeirinha. Ele foi rapidamente retirado por um funcionário do Pelotas. A arbitragem, então, encerrou o primeiro tempo e requisitou a presença da Brigada Militar para o segundo período, pedido atendido pelo presidente Gilmar Schneider.

Ação e reação
Com os ânimos acalmados, as equipes voltaram com propostas diferentes. O técnico Fabiano Daitx promoveu muitas trocas na equipe, enquanto Gavilán apenas uma. John Lennon deu lugar a Léo Bahia, alteração que acabou tirando a intensidade da equipe pelo lado de campo. Com isso, o Avenida começou a avançar suas linhas em busca do empate.

Aos 8 minutos, Airton protagonizou um lance inesperado. O goleiro, que já havia falhado em duas saídas de jogo, desta vez acabou soltando a bola nos pés de Tito. O jogador havia acabado de entrar no Avenida e teve apenas o trabalho de empurrar para as redes. 1 a 1.

O gol do adversário não intimidou o Pelotas. Dois minutos depois, a equipe de Gavilán mostrou poder de reação. Em cobrança de escanteio, Germano colocou na cabeça de Reinaldo Dutra. O volante fez jus à fama e testou com firmeza para o chão, sem chance alguma para o goleiro Fabiano. Esta reação imediata, no contexto do jogo, foi comemorada e destacada pelo treinador áureo-cerúleo após a vitória.

"Tenho que valorizar a atitude da equipe que encontrou o gol na bola parada", disse Gavilán. No restante do segundo tempo, com muitas trocas de ambos os lados, uma alternância de ataques ocorreu. Nos últimos 15 minutos, o Avenida encurralou o Lobo e pressionou até o final em busca do empate, que acabou não acontecendo em boa atuação defensiva do Pelotas.

"Acontecerem erros que são do jogo. O adversário faz com que isso aconteça. É importante que tivemos essas situações que vamos avaliar. Tivemos situações do 2 a 1 e podíamos ter ampliado. Nos comportamos diante daquilo que foi exigido. Quando o Avenida nos atacou, mantivemos uma compactação e não tivemos dificuldades no setor", avaliou Gavilán.

Nota de repúdio 
Ontem à tarde, o Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado do Rio Grande do Sul (Safergs) emitiu uma nota de repúdio em sua página no Facebook, onde "repudia o ato ocorrido por um torcedor da equipe E.C. Pelotas, onde o mesmo invadiu o campo de jogo e empurrou o Árbitro Assistente, Sr. Ilson Ramires, durante a partida amistosa entre a equipe citada, mandante da partida, contra a equipe E.C. Avenida, no dia de ontem, 12 de Janeiro de 2019, na cidade de Pelotas, no estádio da Boca do Lobo. Fatos como este só denigrem a imagem do futebol gaúcho, podendo prejudicar a equipe infratora com perda de mando de campo, além disso afastando as famílias e pessoas de bem das praças esportivas", diz a nota.

Quando contactado, o presidente do Pelotas, Gilmar Schneider, disse não ter conhecimento da nota, mas lamentou o episódio. "Foi uma infelicidade desse torcedor. Um cadeado que abriu sozinho, uma coisa sem sentido algum. Uma bobagem. Ele foi identificado pelo clube e podemos tomar uma atitude. Ele empurrou o bandeira, não o agrediu. A partir de amanhã (hoje) podemos tomar alguma providência", comentou o presidente.

Semana importante
Os trabalhos voltados à estreia do Campeonato Gaúcho no próximo domingo, às 18h, diante do Juventude, serão divididos entre Boca do Lobo e Aldo Dapuzzo. Para acostumar os atletas com o gramado do estádio rubro-verde, a comissão técnica irá promover treinos de adaptação durante a semana em Rio Grande, palco da partida. Gavilán espera contar com o paraguaio Julio Santa Cruz, que ficou fora do amistoso, com dores no joelho.

Com a atuação insegura de Airton, a semana deve servir também para a definição do goleiro titular. Com um problema grave de saúde na família, Mateus Claus também acabou não atuando contra o Avenida. O jogador ficou bastante abalado e seu caso está sendo acompanhado com carinho pela comissão técnica.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados