Série B

Bateu no limite

Brasil não aproveita única chance, falha na defesa e é derrotado para o Coritiba, melhor mandante da Série B, no Couto Pereira, por 2 a 0

14 de Agosto de 2019 - 00h14 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Xavante não resistiu a força ofensiva do Coritiba

Xavante não resistiu a força ofensiva do Coritiba

Contra o melhor mandante da Série B, o Brasil não conseguiu manter os bons resultados dos últimos jogos como visitante. O Xavante foi derrotado na noite desta terça-feira (13) pelo Coritiba, no Couto Pereira. Ficaram claras, desde o apito inicial, as diferenças das duas equipes, tanto técnicas quanto táticas. O Brasil não aproveitou a chance clara que teve, no final do primeiro tempo, e apresentou falhas defensivas que culminaram na derrota por 2 a 0, no segundo tempo. O próximo compromisso do rubro-negro será terça-feira, às 19h15min, no Bento Freitas, no confronto direto na luta contra o rebaixamento, frente ao São Bento.

Na saída de campo, Diogo Oliveira foi sincero: "Eles jogaram melhor. Mostraram mais qualidade". O mesmo tom foi utilizado pelo vice-presidente de futebol Giovanne Alcântara e o presidente Ricardo Fonseca que assumiram a partida como "perdível". Quem caminhou em linha oposta na avaliação foi o técnico Bolívar, que acabou chamando o resultado de mentiroso. "Acaba sendo um resultado mentiroso, por toda a produção que o Brasil construiu dentro da partida. Pela chance mais clara e na tomada de decisão acabamos pecando. Sabia que teria oportunidade para finalizar e a gente teve. Tomamos um gol de bola parada que treinamos muito. Pecamos nisso, onde trabalhamos muito", afirmou o treinador Xavante.

O fato é que o Xavante teve, mais uma vez, Carlos Eduardo como o principal nome em campo. Muito pela superioridade numérica que o Coxa conseguia na hora de atacar, a partir de movimentações intensas, posicionamento e triangulações que envolviam Jatobá e Leandro Leite. A primeira chance foi aos dez minutos, com Rodrigão finalizando de fora da área, após erro de passe do capitão rubro-negro. Aos 21, Carlos Eduardo defendeu cabeçada do camisa 9 paranaense. Com 25, Robson saiu na cara do gol e o goleiro xavante precisou sair de forma perfeita. Aos 40, Tiago Lopes arriscou da entrada da área e Cadu espalmou para escanteio.

Tudo poderia ser diferente se, aos 46 minutos, Cristian tivesse tocado para Grampola e não tentasse finalizar. O Xavante fez boa jogada. Murilo Rangel tabelou com o centroavante e abriu para Ricardo Luz que passava pelo lado direito. O lateral tocou para o camisa 7 dentro da área. Cristian cortou o marcador duas vezes e acabou chutando em cima da defesa. Grampola estava livre ao lado.

Na volta do intervalo, o Xavante manteve a marcação por encaixe no campo de ataque. Cristian e Murilo pegavam os laterais e Diogo o primeiro volante. O Brasil ensaiou uma pressão e Camilo quase abriu o placar aos 11 minutos, em escanteio. Porém, a zaga do Brasil falhou aos 18 minutos. Em cobrança de falta, a defesa ficou olhando a bola e não viu Sabino entrar livre para abrir o marcador. Carlos Eduardo ainda salvou o Brasil duas vezes seguidas, aos 28 minutos, mas não conseguiu evitar o segundo de Robson pouco depois.

 

Ficha técnica

Coritiba; Alex Muralha; Diogo Mateus, Rafael Lima, Sabino e William Matheus; Matheus Sales, 
Thiago Lopes, Giovanni (Rafinha) e Juan Alano; Robson e Rodrigão. Técnico: Umberto Louzer

Brasil
Carlos Eduardo; Ricardo Luz, Bruno Aguiar, Camilo e Ednei; Leite (Elias), Jatobá, Diogo Oliveira e Murilo Rangel; Cristian (Rodrigo Alves) e Rafael Grampola (Branquinho). Técnico: Bolívar

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados