Gauchão 2020

Ainda sem explicação

Pelotas se reapresenta buscando o diagnóstico para a má atuação contra o Novo Hamburgo na estreia do Gauchão

24 de Janeiro de 2020 - 11h57 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Tatto conversou com a imprensa na tarde desta terça-feira (Foto: Tales Leal/ECP)

Tatto conversou com a imprensa na tarde desta terça-feira (Foto: Tales Leal/ECP)

O Pelotas se reapresentou no início da tarde desta quinta (23) após o empate contra o Novo Hamburgo, na Boca do Lobo, na estreia do Campeonato Gaúcho. No domingo o áureo-cerúleo encara o Internacional, que deverá atuar com os titulares, no Beira-Rio. O tom na Avenida é de buscar explicações para a má atuação no primeiro jogo do Estadual.

O lateral esquerdo Juliano Tatto foi o escolhido para falar com a imprensa. Apesar de diagnosticar que o problema do Lobo foi de postura, falta de agressividade com a bola, Tatto não soube achar a razão para essa tolerância em relação ao jogo do adversário. Questionado se poderia ser reflexo do desgaste gerado na Recopa Gaúcha, o lateral rechaçou a ideia.

"A cabeça estar no título não ocorreu. Foi uma tecla que batemos muito desde segunda. O que importa é o Gauchão, Recopa foi bom, mas o interessante é o Campeonato Gaúcho. A questão da intensidade é a questão de agredir o adversário na maneira de jogar. Sinceramente eu não consigo te dizer o porquê, mas foi o que faltou para nós. Em alguns momentos, quando não dá na técnica, tem que ter indignação e brigar um pouco mais que as coisas começam a acontecer. Serve de aprendizado para nós", analisou.

O treino da tarde desta quinta foi na Arena Marini. Lá o treinador Picoli deve ter abordado bastante a questão de postura da equipe. O Pelotas não terá margem para erro neste primeiro turno onde a tabela não é nada fácil. Já neste domingo irá encarar o Beira-Rio com Eduardo Coudet comandando pela primeira vez o Colorado diante do torcedor. Pelo histórico do treinador argentino, suas equipes iniciam o ano de maneira muito intensa. Tatto sabe que o Pelotas terá que aumentar o foco e utiliza o exemplo do ano passado quando o áureo-cerúleo derrotou o Colorado em Porto Alegre, também na segunda rodada após um resultado inesperado na estreia.

"Por que não podemos recuperar esses pontos perdidos lá em Porto Alegre? Tudo é possível, provamos o ano passado e o Caxias provou agora contra o Grêmio, mas para isso acontecer precisamos mudar. Principalmente a nossa parte, faltou essa imposição, de querer jogar mais, dá um pouco mais, pois sabemos que o campeonato é curto", afirmou Tatto.

Retorno
Hugo Sanches, que sentiu um desconforto e ficou de fora do jogo contra o Novo Hamburgo, treinou normalmente na Arena Marini nesta quinta à tarde. O atacante deve voltar ao time titular de maneira natural. A questão é se Picoli o colocará no lugar de Jô, mantendo o esquema da estreia, ou se tentará novamente o trio ofensivo com Hugo, Juliano e Jô, sacando Jean Roberto da equipe. Formação que testou na pré-temporada.

O Lobo treinará nesta sexta e sábado pela manhã em Pelotas. No início da tarde viaja para Porto Alegre, onde encara o Colorado às 19h de domingo. O Pelotas dorme na capital, treina na segunda no CT do Parque Gigante e depois desloca-se para Erechim, onde duelará contra o Ypiranga na quarta-feira.

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados