Série D

Ainda mais forte

Reforços pontuais deixam o Caxias com maior qualidade na hora de definir as jogadas

29 de Setembro de 2020 - 13h24 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Giovane marcou os dois gols na vitória do Caxias diante do Tubarão (foto: Luiz Erbes - AI Caxias)

Giovane marcou os dois gols na vitória do Caxias diante do Tubarão (foto: Luiz Erbes - AI Caxias)

Líder do grupo 8 com duas vitórias em dois jogos, o Caxias inicia a Série D mantendo a mesma força que demonstrou no Campeonato Gaúcho, quando terminou como vice-campeão. Um time muito efetivo, com ótimas qualidades individuais e que sabe competir.

O jornalista pelotense Pedro Petrucci, que hoje reside em Caxias do Sul, analisa o time grená como ainda mais forte em relação à equipe que conquistou o vice-campeonato estadual. Para Petrucci, o Caxias qualificou o elenco no setor ofensivo com as chegas de Claudinho e Giovane Gomez, ex-Lobo.

“A equipe manteve o padrão coletivo, mas destaco melhoras individuais. Os jogos recentes mostraram que Claudinho e Giovane Gomez - reforços para o ataque - tiveram melhor desempenho que Tilica e Gilmar, titulares do Campeonato Gaúcho”, avaliou o jornalista.

Em relação aos reforços, o time da Serra foi buscar no mercado atletas com as mesmas características dos jogadores que deixaram o elenco. Isso facilitou a manutenção do modelo de jogo.

“Embora três titulares tenham deixado a equipe, os substitutos contratados têm as mesmas características. Assim, o técnico Rafael Lacerda não precisou realizar alterações táticas. O Caxias segue utilizando o esquema 4-2-3-1, marcação individual por setor, e propostas de ataque que se encaixam às circunstâncias das partidas. Durante a temporada 2020, o time grená mostrou saber jogar com passes curtos e também de forma mais direta, buscando lançamentos para os pontas. A maior parte dos gols tem origem dos cruzamentos do lateral-direito Ivan, especialmente na bola parada”, afirmou Pedro.

Ivan, aliás, pode ser o grande desfalque para a partida desta quinta-feira, às 15h, na Boca do Lobo. O lateral foi substituído ainda no primeiro tempo da vitória diante do Tubarão.

Pilar
O pelotense Juliano pode ser considerado o pilar do time grená. Dentro dos encaixes individuais na marcação, Juliano é o jogador que acaba marcando de maneira mais posicionada. Ou seja, é quem menos persegue o adversário. Ele compensa os espaços deixados pelas perseguições dos companheiros e consegue realizar a cobertura pelo centro do campo. Porém, por não ser um jogador físico e de velocidade, o capitão grená acaba tendo maior dificuldade se o adversário consegue o arrastar para longe do centro, o fazendo percorrer uma distância maior para marcar.

Com a bola o pelotense revelado pelo Internacional também tem papel importante. É o volante que fica na base da jogada e inicia a construção da equipe, diferente de Carlos Alberto, que possui maior mobilidade e velocidade. Ambos - junto com Diogo Oliveira - formam o trio que apresenta qualidade para circular a bola por dentro através da formação de triângulos. O Caxias também ataca bem pelos lados, seja com os pontas ou com as ultrapassagens dos laterais.

Desfalques
No Lobo, Juliano e Milla com entorse no tornozelo são dúvidas para a partida. A expectativa é que Bruninho, recém contratado, já esteja à disposição e possa estrear contra o Grená.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados