Gauchão 2020

A partir do ataque

Pelotas reestreia no Gauchão prometendo jogar com linhas avançadas e pressionando o Caxias desde o campo ofensivo

25 de Julho de 2020 - 14h10 Corrigir A + A -

Por: Vinícius Guerreiro
vinicius.guerreiro@diariopopular.com.br

Colbachini quer um time pressionando o adversário desde a saída de bola (Foto: Tales Leal/ECP)

Colbachini quer um time pressionando o adversário desde a saída de bola (Foto: Tales Leal/ECP)

A Era Ricardo Colbachini, que inicia neste domingo (26), às 16h, quando o Pelotas encara o Caxias no Estádio Centenário pela quinta rodada da Taça Francisco Novelletto, partirá do ataque. Este tem sido o discurso do treinador e dos atletas às vésperas de entrar em campo pela primeira vez mirando o restante do Gauchão e, posteriormente, a Série D do Brasileiro.

A promessa é de um Pelotas ocupando o campo ofensivo tanto na hora de atacar, quanto no momento de defender. Durante as duas semanas de treinamento, Colbachini tem buscado aplicar os conceitos que o credenciaram dentro da base colorada e o fizeram ser contratado pelo Lobo em meio à pandemia.
Esses conceitos passam por um time que jogue com as linhas avançadas, pressão alta na saída de bola do rival e o chamado ‘perde, pressiona’. “Um time que não deixe o adversário confortável com a bola. O time tem entendido isso. Os trabalhos têm a cada dia melhorado e têm tudo para crescer”, analisa Daniel Costa, que deverá ser o meia central do time.

Um dos poucos remanescentes no elenco, Wendel Lomar revela que o treinador tem cobrado uma defesa que jogue avançada. O zagueiro vê essa ideia como não muito usual no futebol nacional. “A gente vem entendendo bem esse novo jeito de jogar. É claro que não é costume do futebol brasileiro mesmo, vemos isso mais no futebol europeu. É mais no ‘futebol moderno’ que se diz”.

Outra característica que o novo técnico do Pelotas busca trabalhar no dia a dia é a construção desde os zagueiros. No Gauchão, primeiro comandado por Picoli e depois por Luiz Carlos Winck, o Lobo utilizava um jogo mais direto e com saída pelo lado do campo. Neste domingo contra o Caxias, Wendel deve formar a dupla de defesa com Fábio Alemão. Alemão foi contratado justamente por ter trabalhado muito tempo com Colbachini na base colorada.

“O novo elenco tem a característica de sair jogando, de bola no chão e no pé. É claro que o tempo é curto para termos uma filosofia completamente fixada, mas com dedicação e empenho vamos dar o nosso melhor”, relata Lomar.

O Caxias já entrou em campo na última quinta-feira. A equipe Grená perdeu para o rival Juventude por 2 a 0. O Lobo ainda não reestreou devido à polêmica em torno dos testes do dia 14 e o desencontro de informações entre clube e prefeitura, que levou à suspensão do clássico. Esses dias a mais de treinos são vistos como positivos por Wendel, apesar da falta de ritmo de jogo. “Tivemos mais tempo para nos preparar, já que é um novo trabalho. É positivo porque pudemos pegar um pouco mais de treino, tanto na parte física, quanto na tática. É negativo em relação ao ritmo de jogo, onde estamos um pouco atrás do Caxias”, analisou o defensor.

Ficha técnica
Caxias: Pitol; Ivan, Jean, Sales e Ré; Juliano, Carlos Alberto e Diogo Oliveira; Vinícius Baiano, Tilica e Gilmar. Técnico: Lacerda.

Pelotas: Copetti; Marcelo, Fábio Alemão, Wendell e Hélder; Moisés, Ramires e Daniel Costa; Ariel, Hugo e Alex. Técnico: Ricardo Colbachini.

Árbitro: Eleno Todeschini
Local: Estádio Centenário
Horário: 16h - domingo


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados