Copa Seu Verardi

A cara do Lobo

Entre os jogadores contratados para disputar a Copinha, Vacaria é a personificação do perfil buscado pelo Pelotas no mercado

20 de Julho de 2019 - 19h48 Corrigir A + A -
Volante é um dos líderes do elenco  (Foto: Tales Leal/ECP)

Volante é um dos líderes do elenco (Foto: Tales Leal/ECP)

Desde as primeiras manifestações, a direção do Pelotas deixou claro que montaria uma equipe com limitações financeiras, mas que usaria todo o seu poder de convencimento para formar o elenco com as características necessárias para se disputar uma Copinha de segundo semestre. O frio do inverno, os campos pesados e os ambientes hostis no interior do Rio Grande do Sul são adversidades naturais deste tipo de competição. As contratações foram embasadas desta maneira, levando em consideração a experiência e o contato com o futebol gaúcho.

O volante Vacaria, ex-Brasil e Juventude, é um desses jogadores que possuem o perfil do futebol gaúcho. Mesmo tendo mercado para atuar em uma divisão nacional, que inclusive disputou recentemente com o Remo, o atleta foi seduzido pelos áureo-cerúleos para voltar ao Estado.

"Temos um nome no futebol gaúcho e outros lugares. Mas temos que ter os pés no chão. Estava na Série C e ponto. Tava lá e agora meu pensamento é aqui. Não vim por causa de dinheiro. Vim pela instituição que é forte e sei que posso ter a retomada da minha carreira. Além disso, vim pela minha amizade com o Felipe (Endres), que já trabalhamos juntos, temos uma parceria muito bacana. E vim pra ajudar. Se vou ser titular não sei. Se tiver que ser titular vou ajudar, se tiver que ajudar de fora vou ajudar, o importante é o Pelotas", comentou.

O jogador é um dos experientes do grupo. Além disso, é tido como um líder pela sua entrega nos treinamentos e no campo, onde mostra ser um volante com alto poder de marcação. Traços que o fizeram ser reconhecido pelos clubes onde passou.

"Todos os clubes que passei sempre me dediquei ao máximo dentro de campo. Não vão esperar gols, mas um cara que se entrega do primeiro ao último minuto. Tenho que estar no meu auge físico e vou buscar isso nessa pré-temporada", analisou.


Foco na parte física

A preparação áureo-cerúlea para a Copa Seu Verardi começou na última quarta-feira. Nos primeiros treinos, a tradicional língua de fora apareceu, devido ao cansaço dos jogadores que apenas iniciam o recondicionamento físico, mas há tempo pela frente. São praticamente quatro semanas até a estreia diante do 12 Horas. Até lá, Vacaria espera ter recuperado o tempo em que ficou parado após sua passagem pelo futebol do Pará.

"Um tempo bom, dá pra treinar bastante. É um grupo novo, taticamente ainda vamos estar nos conhecendo na estreia e nos amistosos que talvez ocorram. Eu tava parado depois que sai do Remo. Mas temos que treinar. O sucesso vem do trabalho. Eu dependo muito da parte física pra executar meu futebol. Se eu tô mal agora, vou procurar melhorar todo dia", projeta.

Não é um período fácil para os atletas. Mas as mudanças na preparação física dentro do futebol têm, cada vez mais, aliado os trabalhos de maneira multidisciplinar. Quanto mais moderno é o método usado pela comissão técnica, mais à vontade o jogador se sente.

Início de trabalho é sempre mais complicado por conta da parte física. Mas todos trabalhos envolvem bola. Já conhecia a comissão, são muito capacitados. Vão nos ajudar muito a conquistar os objetivos. O futebol tá muito moderno. O Felipe é assim. A comissão toda. Ele já coloca a bola desde o primeiro treino e isso ajuda. Às vezes a bola da uma enganada, porque o trabalho é físico. Mas é assim mesmo. Tem que treinar, tem que tá bem pra chegar o melhor possível no dia 17", complementou.

O Pelotas estreia na Copa Seu Verardi no dia 17 de agosto, às 15h, diante do 12 Horas, no estádio Cristo Rei, em São Leopoldo.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados