Referência

Índice do MEC aponta IFSul como primeiro instituto do Estado

Dados também mostram a instituição em segundo lugar no Sul e em terceiro no país

26 de Abril de 2021 - 10h24 Corrigir A + A -
Foram avaliadas mais de duas mil instituições no país, entre públicas e privadas. (Foto: Jô Folha - DP)

Foram avaliadas mais de duas mil instituições no país, entre públicas e privadas. (Foto: Jô Folha - DP)

A qualidade da educação ofertada pelo IFSul ganhou destaque novamente em indicadores do Ministério da Educação (MEC). Segundo o Índice Geral de Cursos (IGC), a instituição obteve a melhor colocação entre os três institutos do Rio Grande do Sul, a segunda melhor entre os seis institutos da Região Sul do país e a terceira entre os 38 institutos nacionais. O IGC leva em consideração uma série de resultados, tanto da graduação quanto da pós-graduação stricto sensu, e avaliou mais de duas mil instituições no país, entre públicas e privadas.

Entre todas as instituições de ensino citadas no documento divulgado pelo MEC, 111 estão no Rio Grande do Sul e o IFSul ocupa a 17ª posição. O resultado ganha importância ainda maior quando se leva em conta a tradição de universidades, por exemplo, no Ensino Superior, em comparação com a Rede Federal de Educação Tecnológica, por décadas dedicada aos ensinos Médio e Técnico.

O reitor do IFSul, professor Flávio Nunes, recebeu com alegria o resultado obtido pela instituição. Segundo ele, os números mostram a qualidade colocada como horizonte a ser alcançado na oferta dos cursos. Nunes agradece a todos que se envolveram no processo de avaliação - docentes, técnicos-administrativos e estudantes. “Graças ao trabalho e dedicação dessas pessoas, este resultado foi alcançado. A conquista deve ser repartida e festejada por toda a comunidade acadêmica do IFSul”, comemora.

Qualidade que se reflete em números
Outro dado importante é o de que os bons resultados do IFSul aparecem tanto no conceito médio da graduação (3,13), quanto no conceito médio do mestrado (4,18), garantindo ao instituto um IGC na faixa 4, a maior alcançada pelos institutos federais do país no ranking, que vai de 1 a 5.

De acordo com o pró-reitor de Ensino da instituição, Rodrigo Nascimento da Silva, o resultado obtido mostra mais uma vez o reflexo de um trabalho coletivo entre os cursos, servidores, estudantes, campi, reitoria e comunidade. O dirigente explica que, como não há indicadores semelhantes para os cursos técnicos, o indicador por ora divulgado é de extrema importância, dada a verticalização do ensino, que oportuniza ao estudante cursar, na própria instituição, desde o Ensino Técnico até a graduação e pós-graduação.

O pró-reitor destaca ainda que, mesmo com a expansão da oferta de matrículas no Ensino Técnico, o IFSul mostra, mais uma vez, compromisso com a qualidade, quando comparado às demais instituições de Ensino Superior. “A missão do instituto, de ofertar curso técnico, sempre se manteve e se manterá, e o Ensino Superior de graduação e pós-graduação tem sua origem e base alicerçada nos cursos técnicos que também são referências no país”, conclui.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados