Coronavírus

Entidades pedem prioridade de vacina aos professores

Cpers entende que o retorno presencial deve se dar apenas com toda a comunidade escolar vacinada

13 de Janeiro de 2021 - 19h50 Corrigir A + A -
Objetivo da ação é fornecer segurança e respaldo a toda comunidade escolar, tendo em vista que o retorno deverá ocorrer em março, mesmo que de forma híbrida (Foto: Infocenter DP)

Objetivo da ação é fornecer segurança e respaldo a toda comunidade escolar, tendo em vista que o retorno deverá ocorrer em março, mesmo que de forma híbrida (Foto: Infocenter DP)

Na tarde desta quarta-feira (13), a Federação das Associações das de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) esteve reunida virtualmente e, de forma unânime, acatou o ofício elaborado pelo coordenador Regional de Combate à Pandemia, o prefeito de Jaguarão, Favio Telis (MDB), que pede a inclusão dos professores no rol dos profissionais que deverão receber prioritariamente a vacina contra a Covid-19. Na mesma tarde o documento foi enviado ao governo estadual e federal. Na última segunda-feira, a Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) já havia protocolado e também encaminhado o pedido .

De acordo com Telis, o objetivo da ação é fornecer segurança e respaldo a toda comunidade escolar, tendo em vista que o retorno deverá ocorrer em março, mesmo que de forma híbrida. "Se pensou nos professores por serem quem fica mais tempo dentro da sala aula e com diferentes alunos", salientou. O chefe do Executivo jaguarense acredita que com os professores imunizados o risco de contaminação diminuiria, já que as crianças costumam não apresentar a doença de forma greve.

O diretor geral do 24° núcleo do Cpers, Mauro Amaral, defende que a posição e a luta do Sindicato é que haja vacina para professores, alunos e funcionários. "Inclusive tivemos uma manifestação na última terça-feira, em frente ao Palácio Piratini, para cobrar essa pauta", destacou. De acordo com ele, o trabalho de forma presencial só poderá voltar após toda comunidade escolar estar imunizada. "Essa é a nossa defesa", finalizou. O Sindicato dos Municipários de Pelotas (Simp) informou que se posicionará sobre o assunto amanhã, após a reunião com o Conselho Municipal de Saúde, prevista para hoje a noite.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados