Na vitrine

Vendas ainda fracas na mudança de estação

Para os lojistas, o momento de indecisão dos consumidores só atrapalha as vendas

29 de Março de 2019 - 14h30 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Focados. Vitrines misturam as tendências outono/inverno com peças para os dias quentes que ainda ocorrem. (Foto: Jô Folha - DP)

Focados. Vitrines misturam as tendências outono/inverno com peças para os dias quentes que ainda ocorrem. (Foto: Jô Folha - DP)

Nas prateleiras e nas araras de muitas lojas em Pelotas, os lançamentos para outono/inverno se misturam às últimas peças que ainda podem ser usadas nos dias de temperaturas acima dos 20 graus, que ocorrem nesta semana.

Para os lojistas, o momento de indecisão dos consumidores - se investem no vestuário para os dias frios ou se aproveitam as últimas liquidações, pensando no próximo ano - só atrapalha as vendas.

Com as temperaturas baixas, explica o gerente Mário Farias, o cliente faz um crediário, mas leva roupas grossas. “É bem isso. O cliente não sabe o que fazer”, concorda. Para acabar com o estoque, a loja ainda mantém peças com preços de R$ 20,00. “É o chamariz”, conclui Farias.

Esta é a realidade do mês de março e da primeira quinzena de abril, explica o presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), Renzo Antonioli. “Roupas leves não se vende mais”, diz. Junto com as variações climáticas, as despesas do começo do ano contribuem para as vendas baixas. Para muitos lojistas, é o momento de sacrificar os lucros, com as últimas liquidações para fazer caixa, lembra o presidente.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados