Pandemia

Três setores registram variação positiva na mesma semana pela primeira no RS

Indústria, atacado e varejo driblam os efeitos da pandemia, segundo aponta 18ª edição do Boletim Semanal da Receita Estadual

30 de Julho de 2020 - 15h13 Corrigir A + A -
Destaques para industriais de arroz, madeira, cimento e vidro, eletroeletrônicos, bebidas e móveis. (Foto: Infocenter DP)

Destaques para industriais de arroz, madeira, cimento e vidro, eletroeletrônicos, bebidas e móveis. (Foto: Infocenter DP)

A Receita Estadual divulgou a 18ª edição do Boletim Semanal sobre os impactos da Covid-19 nas movimentações econômicas dos contribuintes de ICMS do Estado. O principal destaque da semana é a variação positiva apresentada pela indústria, atacado e varejo. Essa foi a primeira vez que as três atividades obtiveram crescimento em uma mesma semana de análise desde o início da pandemia, sempre comparando a períodos equivalentes de 2019. A publicação com os principais indicadores econômico-fiscais do Rio Grande do Sul está disponível no site da Secretaria da Fazenda e no Receita Dados (portal de transparência da Receita Estadual).

A indústria registrou variação positiva pela terceira semana consecutiva, com +5,6%. Nas últimas oito semanas, o segmento apurou indicadores positivos em cinco. Além disso, dos 19 setores industriais analisados, 14 apresentaram ganhos e apenas cinco tiveram queda na última semana (18 a 24 de julho). Alguns dos destaques foram os industriais de arroz, madeira, cimento e vidro, Eletroeletrônicos, Bebidas e Móveis. No acumulado (16 de março a 24 de julho), a indústria agora tem queda de -10,2%. Os piores desempenhos do período total são dos setores “Coureiro-Calçadista” (-53,4%) e “Veículos” (-45,4%), seguidos por “Metalurgia” (-29,2%) e “Têxteis e Confecção” (-22,0%).

O atacado teve seu segundo melhor desempenho desde o início da pandemia na última semana, com aumento de +20,2% nas vendas frente ao período equivalente de 2019. A magnitude do crescimento deve-se a operações do setor de “Insumos Agropecuários”, possivelmente relacionadas ao aumento em exportação de soja. No acumulado, a atividade atacadista apresenta variação positiva, na ordem de +2,2%. Os desempenhos mais positivos são dos setores de “Alimentos” e “Insumos Agropecuários”, respectivamente de +26,2% e +43,8%.

O varejo, por sua vez, também registrou desempenho importante, interrompendo cinco semanas seguidas de variações negativas. A atividade apurou índice de +1,9% nas vendas entre os dias 18 e 24 de julho. Os setores que mais contribuíram para a alta da atividade foram de “Supermercados” (20,1%), de “Material de Construção” (31,5%) e de “Medicamentos” (16,1%). Os setores que apresentaram queda interanual nesta semana foram os varejistas de “Combustíveis”, “Cosméticos”, “Veículos” e “Vestuário”. A queda acumulada no varejo desde o início da pandemia é de -12,1%.

Emissão de Notas Eletrônicas também cresceu na semana

A emissão de Notas Eletrônicas (NF-e + NFC-e) também acompanhou o bom desempenho das atividades, com um aumento de +8,4% na última semana (18 a 24 de julho), comparando ao período equivalente do ano passado. Essa foi a segunda semana consecutiva de variações positivas (+3,3% na semana anterior), consistindo no segundo melhor resultado desde março. O pior resultado ocorreu entre 28 de março e 3 de abril, quando o indicador foi de -31,5%.

No acumulado do período de análise (16 de março a 24 de julho), a redução na emissão de Notas Eletrônicas é de -7,3%, representando que cerca de R$ 140 milhões deixaram de ser movimentados, em operações registradas nas notas eletrônicas, a cada dia.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados