Liquidações

Soma de vendas baixas antecipa as liquidações

O presidente em exercício Renzo Antonioli avalia o futuro do varejo

08 de Janeiro de 2019 - 15h00 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Redes de fora da cidade de vários segmentos investem, expandindo seus negócios. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Redes de fora da cidade de vários segmentos investem, expandindo seus negócios. (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Janeiro começa com novos desafios para os varejistas, mas em especial, neste novo ano, para pequenos e médios lojistas, alerta o presidente em exercício do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) em Pelotas, Renzo Antonioli. São eles que começam o ano com maiores dificuldades, diante de uma queda de até 20% nas vendas durante todo o ano de 2018, que se repete através de um volume muito baixo de negócios neste começo de ano. Dificuldades que devem se estender até abril, prevê Antonioli.

Diante deste quadro, as liquidações devem chegar mais cedo. Segundo o presidente, é pela necessidade de fazer caixa para enfrentar as despesas de começo de ano, que chegaram com as adesões ao Simples Nacional e ao Programa Especial de Recuperação Tributária (Pert), que são oportunidades de sobrevivência para estas empresas. Muitas delas não têm caixa para dar início ao parcelamento, explica. Neste contexto, fecham mais os pequenos estabelecimentos, com menor capacidade de absorver as perdas nas vendas. Com eles, alguns médios, que vêm crescer suas dificuldades para enfrentar o mercado.

E os novos investimentos?
Ao lado das pequenas e médias lojas que fecham as portas, novos investimentos chegam a Pelotas, geralmente de redes de fora da cidade, que consideram o potencial de consumo de toda a região. A rede de fast food Burguer King acaba de abrir segundo ponto de vendas em Pelotas e a Droga Raia concluiu as obras da esquina das ruas Barroso e General Neto, para fazer funcionar a primeira filial da cidade.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados