Inflação

Quedas nos custos médios do cesto básico e da ração

O vilão dos aumentos foi o café, com 26,17%

05 de Janeiro de 2022 - 13h00 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Xícara. Para o consumidor final, além do custo maior nos supermercados, o café fica mais caro também junto aos balcões  (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Xícara. Para o consumidor final, além do custo maior nos supermercados, o café fica mais caro também junto aos balcões (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Pesquisa do Procon Pelotas nos supermercados da cidade encontrou quedas nos custos médios do cesto básico, de 0,15%, e na ração essencial, de 2,56%, no mês de dezembro. O vilão dos aumentos foi o café, com 26,17%.

No primeiro dia útil do novo ano, a pesquisa do Procon somou R$ 1.117,12 na lista de 53 produtos do cesto básico e R$ 557,03 nos 13 da ração essencial. Em novembro, o cesto teve aumento de 0,22%, mas a ração, queda de 0,16%. Apenas o cigarro permaneceu com preços estáveis em dezembro.

Aumentos do café

Parte do dia a dia dos brasileiros, o café é a segunda bebida mais consumida no país, perdendo apenas para a água. Segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o preço do café teve aumento de 34,53% nos últimos 12 meses. Com o real desvalorizado, fica mais interessante para países como Estados Unidos comprarem produtos brasileiros que ficam mais baratos, gerando redução da oferta interna. A seca que atingiu a região do Triângulo Mineiro, principal região produtora de café no Brasil, também provocou estas altas no primeiro trimestre do ano. Atrelado a isso, a crise hídrica impacta diretamente na geração de energia e, consequentemente, na produção dos grãos.

Principais variações:

Aumentos
Café - 26,17%
Banana - 24,63%
Sabão em pó - 21%
Massa de tomate - 17,30%
Presunto magro fatiado -13,26%

Quedas
Iogurte com sabores - 15,56%
Arroz - 13,09%
Alface - 8,20%
Gás de cozinha - 6,42%
Leite longa vida integral - 5,96%


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados