Urbanismo

Projeto ousado para área bem localizada

Com investimento de R$ 60 milhões iniciais, a Idealiza está em busca de parceiros para a construção

21 de Dezembro de 2014 - 18h58 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

 (Foto: Divulgação - DP)

(Foto: Divulgação - DP)

A Idealiza Urbanismo prepara o lançamento daquele que é considerado o empreendimento imobiliário mais ousado para ser concretizado nos próximos anos em Pelotas. A área total de 190 mil metros quadrados, localizada no prolongamento da avenida São Francisco de Paula, no trecho que será duplicado, e próxima à Bento Gonçalves e à Ferreira, aguarda apenas o registro da incorporação, explica o sócio-diretor Ricardo Costa. O projeto já foi apresentado a construtores locais, que devem ser os parceiros da Idealiza na sua concretização total, e também ao prefeito Eduardo Leite. "Temos um desafio pela frente", reconhece Costa, que prevê o início das obras para o primeiro trimestre de 2015. Nesta área, próxima aos fundos do Shopping Pelotas, a construção da futura sede da Panambra Sul, em área de dez mil metros quadrados, será a primeira.

Em cinco anos, o bairro planejado, que somará áreas comerciais e habitacionais às de lazer, mudará a ocupação do local, que tem o condomínio Lagos de São Gonçalo bem próximo, preconiza Costa, que explica: "A Idealiza não constrói, mas cria o empreendimento". Em termos de espaço público, adianta o também sócio-proprietário Fabiano De Marco, terá o dobro do Lagos, do qual a Idealiza é parceira, e também do Veredas - Altos do Laranjal, que é uma iniciativa apenas dos dois sócios. "Queremos que seja um atrativo para a cidade", diz De Marco. O local receberá investimento de R$ 60 milhões nos três primeiros anos, de uma soma de R$ 450 milhões a serem contabilizados quando o projeto estiver concluído, em dez anos, e considerando os recursos que serão aplicados pelos construtores parceiros.

Para concretizar esta proposta, serão gerados de 250 a 300 empregos diretos no local nos primeiros três anos, que se refletirão na contratação indireta de 1,2 mil profissionais no mesmo período, com um investimento de R$ 20 milhões apenas em mão de obra. Para os cofres do município, antecipa Costa, trará uma arrecadação muito significativa, através dos tributos que serão gerados, tanto pelos empreendimentos comerciais como pela ocupação de imóveis residenciais, que serão verticalizados, através de torres de apartamentos. A população estimada para o local deverá ficar entre sete mil e oito mil moradores permanentes, com uma circulação muito maior de clientes de estabelecimentos que se instalem no local e de famílias que busquem lazer e atividades culturais.

Para a Idealiza, que é uma empresa pelotense, com sede na cidade, este é um projeto inédito. "O primeiro de um bairro planejado", diz Costa. Este foi um empreendimento concebido com dois pilares diferenciados: de priorização das pessoas nos espaços públicos e da organização dos moradores em uma associação, a exemplo dos que os dois sócios viram em países da Europa. Além de parceiros nacionais, a empresa foi buscar fora do país alguns dos projetos para serem implantados no local - como é o caso dos playgrounds que ocuparão as áreas de lazer. Mesmo em empreendimentos lançados fora de Pelotas e do Estado, a Idealiza não projeta nada semelhante a este, que será lançado durante evento no mês de janeiro de 2015, concorda Costa. Até lá, alguns dados são mantidos em sigilo, embora Costa já adiante aos interessados que todo o projeto está em conformidade com o Plano Diretor em vigência na cidade.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados